Floresta

Promoção mundial da cortiça arranca na China com investimento de €600 mil

O mercado chinês marcou o arranque do InterCork III da Associação Portuguesa da Cortiça – APCOR, com o investimento de €600 mil em ações de promoção e divulgação das rolhas e seus benefícios num mercado-alvo tanto ao nível do consumo, como da importação e produção de vinho.

Com consumidores cada vez mais informados e exigentes, o mercado chinês, ainda é o 5º maior consumidor de vinho a nível mundial, com uma média de 1,2 litros per capita, e o 4º maior importador de vinhos engarrafados do mundo – num total de €2 biliões.

Segundo a Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), a China é o 2º país com a maior área de vinha do mundo, contabilizando 830 mil hectares, posicionando-se atrás da Espanha e à frente da França, sendo já o 9º produtor mundial de vinho, situando-se nos 11,1 milhões de hectolitros.

“A China funciona como mercado influenciador e, neste sentido, queremos que conheçam as nossas propriedades e vantagens. O mercado Australiano, por exemplo, tem voltado as atenções para a cortiça pela influência da clara preferência dos chineses pelas nossas rolhas, visto que, segundo o CRT Market Research, 84% dos consumidores preferem comprar vinhos vedados com cortiça”, afirma João Rui Ferreira, presidente da APCOR.

A primeira iniciativa do InterCork III nesse mercado contou com um stand no Wal-Mart, a maior cadeia de supermercados do mundo, em Beijing, e em apenas dois dias recebeu a participação de mais de 600 pessoas, que foram presenteadas com rolhas e bases de cortiça com o Galo de Barcelos impresso, visto que a China acaba de entrar no ano do Galo.

Para além desta iniciativa, e sendo que a ação não se dirige só aos consumidores, mas também aos líderes de opinião, as ações previstas passarão também por formações com wine educators, o incremento das plataformas digitais (que contam já com mais de 22 mil seguidores), programas de reciclagem, participação em feiras, parcerias com o retalho e, ainda, visitas a Portugal.

A promoção do mercado chinês teve início em 2011, com o primeiro InterCork, e, até ao momento já tinha sido investido €730 mil, aos quais se junta agora o montante de €600 mil para o reforço da divulgação da cortiça.

“Para além do mercado do vinho, sabemos que tanto a China, como todo o mercado sudoeste asiático e médio-oriente, são as regiões do mundo onde as economias mais crescem e a cortiça, quer na área da construção, quer nas outras aplicações tem um enorme potencial de ampliação”, reconhece João Rui Ferreira.

Recorde-se que o InterCork III é um programa de promoção internacional da cortiça que, num investimento de 7,8 milhões de euros, pretende reforçar a preponderância da cortiça em 10 mercados – EUA, França, Alemanha, Itália, China, Brasil, Espanha, Suécia, Dinamarca e Reino Unido – com campanhas segmentadas para cada público. O programa InterCork é financiado pelo Compete 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Deixe um comentário