Opinião

Fernando Rosário, CONFAGRI

(Colóquio “InovCereais”- junho 2017)

Em representação da CONFAGRI a Cooperativa Agrícola de Beja e Brinches trouxe ao auditório a sua experiência neste setor, referindo que em 2012 a produção de todos os cereais foi de 12900 toneladas, das quais, 54,26% canalizadas para alimentação humana.

Na altura só 7,14% podiam per considerados BTP (Baixo Teor de Pesticidas), um número que entretanto já subiu para 31,4%. Para a Cooperativa a evolução do setor é particularmente notória no caso da cevada, da qual cerca de 97% do que é produzido na região e entregue na Cooperativa destina-se às indústrias malteiras. Na opinião de Fernando Rosário, se o produto não for diferenciado terá bastante dificuldade em ser valorizado.

É através destas valorizações adicionais e incrementos de valor (mercados que não são os grossistas) que se gera valor e que chega à produção, fazendo com que culturas que anteriormente não tinham viabilidade passem a tê-la. Reconhece algum trabalho que tem sido feito mas em seu entender é preciso ir mais além nesta estratégia de valorização da produção nacional.

Fernando Rosário, CONFAGRI / Cooperativa Agrícola de Beja e Brinches