Agropecuária

Supressão dos ovos de galinhas criadas em gaiolas

Como insígnia responsável e que privilegia o bem-estar animal, o Intermarché compromete-se a suprimir gradualmente a comercialização de ovos provenientes de galinhas criadas em gaiolas.

O Intermarché, insígnia alimentar do Grupo Os Mosqueteiros, anuncia a supressão gradual da comercialização de ovos de categoria 3, provenientes de galinhas criadas em gaiolas. Em 2025, a insígnia apenas irá vender ovos provenientes de modos de criação alternativos (categorias 0, 1 e 2).

Em 2025, todos os ovos colocados à venda serão provenientes de modos de criação alternativos das categorias 0, 1 e 2 (Produtos das Nossas Marcas Próprias, 1.º preço e marcas nacionais). Esta decisão vem dar resposta a uma procura crescente dos clientes, cada vez mais atentos às condições de criação e bem-estar animal.

“A nossa ambição consiste em tornar a alimentação saudável mais acessível a todos. Enquanto distribuidores devemos também disponibilizar aos nossos clientes uma oferta de produtos que corresponda às suas expectativas, permitindo, ao mesmo tempo, que as fileiras agroalimentares se adaptem a estes novos desafios”, explica Vasco Simões, Administrador do Intermarché.

Transição progressiva para modos de criação alternativos

Este procedimento será iniciado em concertação com a fileira de produção de ovos e será progressivamente alargado, de forma a responder às novas expectativas dos consumidores e a assegurar em simultâneo a continuidade e sustentabilidade da fileira. Até 2025, os criadores terão o tempo necessário para se adaptarem às novas exigências e desenvolverem modos de criação alternativos.

Ainda numa ótica de melhoria contínua, o Grupo está a rever a duração dos seus compromissos contratuais com os diferentes centros de acondicionamento, para dar uma maior visibilidade, a médio e a longo prazo, a todos os níveis da fileira.