Hortofruticultura Investigação

INIAV tenta ajudar fruticultores a solucionar problemas

Ideia foi reforçada na 2ª Sessão de Divulgação em Fruticultura – INIAV  que aconteceu em Alcobaça. 

No sentido de divulgar alguns dos trabalhos de Investigação e Experimentação realizados ao longo do ano e, ainda em curso, decorreu no dia 5 de dezembro na Estação Nacional de Fruticultura Vieira Natividade (ENFVN), Pólo de Atividades do INIAV, I.P., em Alcobaça, a 2ª Sessão de Divulgação em Fruticultura. O auditório desta Estação esgotou para receber os mais de 170 participantes, sendo estes maioritariamente técnicos de organizações de produtores e empresas, tendo ainda participado fruticultores, alunos de escolas profissionais, professores e outros profissionais do setor.

A abertura da sessão ficou ao cargo do Sr. Presidente do INIAV, I.P., Doutor Nuno Canada e do Coordenador deste Pólo, Eng.º Rui Maia de Sousa, que destacaram a importância da divulgação dos resultados da Investigação e Experimentação perante uma auditório repleto de potenciais utilizadores do conhecimento. O Presidente do INIAV, I.P., falou ainda do futuro da Investigação, Experimentação e Demonstração referindo que estão a ser efetuados os esforços possíveis no sentido de que as atividades desta Estação e do INIAV, I.P. ajudem os produtores a resolver os seus problemas com a participação dos mesmos. Nestas atividades estará sempre presente o compromisso com a agenda de investigação para a próxima década elaborada com a produção no início deste ano.

Seguiram-se as intervenções do Doutor Miguel Leão, sobre Uso de filmes refletivos na distribuição de luz, coloração e qualidade de maçãs ‘Fuji’, apresentando os resultados preliminares de um ensaio que decorreu num pomar comercial, realçando os benefícios do uso de filmes refletores no calibre, coloração, brix, percentagem de frutos colhidos na primeira colheita, entre outos, desafiando as empresas da especialidade a colaborar nos estudos em curso pelo interesse e potencial de aplicação desta tecnologia na fruticultura nacional. A Doutora Filipa Queirós apresentou a comunicação intitulada Observações preliminares de variedades de ameixeiras e amendoeiras em coleção onde abordou as épocas de floração e maturação das duas espécies na região de Alcobaça, bem como os parâmetros de qualidade e as propriedades antioxidantes de algumas variedades de ameixeiras. A qualidade das amêndoas produzidas em coleção foi também apresentada. Por sua vez, a Doutora Claudia Sánchez apresentou o tema Aplicação pré-colheita de Aureobasidium pullulans para controlo das doenças de pós-colheita em pera ‘Rocha’ incidindo em resultados obtidos durante os últimos anos em ensaios baseados na utilização de um antagonista microbiano para controlo de doenças em pós-colheita, reduzindo assim as perdas durante o período de conservação e evitando ou diminuindo a utilização de fungicidas. A última comunicação foi realizada pelo Eng.º. Eugénio Diogo sobre o tema Monitorização de esporos de Stemphylium vesicarium e incidência de estenfiliose em pomares da região Oeste. Influência das condições climáticas que apresentou a forma como foi efetuada a monitorização do fungo, as observações da incidência da doença e análises efetuadas nas amostras recolhidas em quatro pomares de pereira ‘Rocha’ na região Oeste. Os resultados observados foram relacionados com as condições climáticas registadas nos pomares.

A sessão terminou com o debate moderado pelo Doutor João Lima, Vogal do Conselho Diretivo do INIAV, I.P., no qual os participantes colocaram inúmeras questões aos oradores, demonstrando assim a importância dos temas abordados. O Doutor João Lima encerrou a Sessão referindo que o INIAV, I.P. está empenhado em que a Estação continue a ser revitalizada salientando o papel importante da produção neste processo, referindo ainda que em dezembro de 2018 se realizará a 3ª Sessão de Divulgação.