Agroalimentar Evento realizado

2.º Simpósio Nacional de Culturas Agroindustriais

O facto da produção nacional agrícola e agroindustrial ser reconhecida pela sua qualidade e segurança e nalguns casos pela sua precocidade, o que lhe confere uma posição estratégica quanto ao timing da sua oferta,  é um dos motes para o 2.º Simpósio Nacional de Culturas Agroindustriais que se realiza em Santarém no dia 2 de fevereiro.

De acordo com a organização, que está a cargo da Sociedade de Ciências Agrárias de Portugal (SCAP), Associação Portuguesa de Horticultura (APH) e das entidades associadas ao evento: FNOP (Federação Nacional das Organizações de Produtores de Frutos e Hortícolas) e COTHN (Centro Operativo e Tecnológico Hortofrutícola Nacional),  “a certificação da nossa produção é uma vertente que merece ser melhor explorada, funcionando como um instrumento diferenciador dos nossos produtos. A criação de marcas que constituam no imediato vantagens competitivas para a nossa produção é fundamental, essencialmente junto dos mercados mais exigentes e que estão dispostos a reconhecer as mais-valias da nossa produção”.

Por outro lado, alertam, “a eventual retirada de substâncias ativas do mercado de produtos fitossanitários, sem se acautelarem alternativas viáveis poderão causar sérios constrangimentos à sustentabilidade do setor, pelo que importa esclarecer e debater sobre as possíveis consequências”.

Já na vertente do mercado, “cabe desmistificar e informar corretamente os consumidores que, com o acesso generalizado e facilitado à informação de conteúdos menos claros, se vêm confrontados com informações por vezes contraditórias”.

Assim, este evento, de âmbito nacional, irá constituir um amplo fórum de debate e de troca de experiências, com todos os agentes da fileira agroindustrial, e possibilitará, certamente, um forte estímulo ao desenvolvimento da agricultura do nosso país.