Opinião Sanidade vegetal

“Como deve ser prevenida a bactéria Xylella fastidiosa”

Neste momento a Xylella fastidiosa é uma bactéria de quarentena e, dada a sua perigosidade e deteção na Europa, foi publicada legislação comunitária que estabelece medidas de emergência para o seu controlo.

Desde logo importa saber que a Xylella fastidiosa é uma bactéria que infeta as plantas pertencentes a uma vasta lista de espécies, sendo as hospedeiras mais importantes a oliveira, amendoeira, cerejeira, citrinos, videira (…).

A bactéria bloqueia os vasos xilémicos das plantas, o que dificulta a absorção de água e nutrientes, o que, consequentemente, conduz ao aparecimento de sintomas semelhantes ao stress hídrico, tais como: murchidão, queimaduras da zona marginal e apical das folhas, morte de alguns ramos e, por fim, da totalidade da planta.

A bactéria transmite-se de forma natural através de insetos vetores ou mesmo pelo comércio de plantas infetadas e a enxertia de plantas contaminadas. Neste momento a Xylella fastidiosa é uma bactéria de quarentena e, dada a sua perigosidade e deteção na Europa, foi publicada legislação comunitária que estabelece medidas de emergência para o seu controlo. Neste conjunto de regras apertadas é obrigatória a receção e / ou expedição das plantas da “lista com passaporte fitossanitário seja qual for a sua origem, tal como a comunicação da aquisição de plantas hospedeiras oriundas de zonas demarcadas”.

Clara Serra, da Divisão de Inspeção Fitossanitária e de Materiais de Propagação Vegetativa da Direção Geral de Alimentação e Veterinária,