Inovação

Prémio Nacional de Agricultura. NativaLand distinguida na categoria “novos projetos”

A empresa start-up criada no final de 2016 por acionistas Portugueses e Irlandeses, está focada em fornecer aos agricultores europeus planta de batata doce de geração 1, de alta qualidade e limpa de vírus.

O crescimento do Mercado de batata doce na Europa nos últimos anos tem sido muito elevado, com uma taxa de crescimento anual superior a 12%*, com o consumo total a atingir mais de 300 mil toneladas* em 2017. Estima-se que este crescimento se mantenha nos próximos anos, uma vez que o consumo per capita na Europa é ainda muito inferior ao dos Estados Unidos.

A crescente consciencialização dos consumidores europeus para os benefícios da batata doce a nível nutricional e para a saúde bem como o desenvolvimento de diferentes variedades, cores e sabores da batata doce e as suas diversas aplicações (a nível culinário e industrial), explicam este crescimento do mercado de batata doce, por muitos considerada um “super alimento”.

Uma das razões para o consumo europeu ser satisfeito maioritariamente através de importações, decorre dos agricultores europeus não terem a plantas de qualidade e diversificada, que lhes assegure uma melhor produção de batata doce.

A NativaLand, é uma empresa criada no final de 2016 para satisfazer as necessidades dos produtores Europeus, focada em fornecer produto da planta de batata doce limpa de vírus, de geração 1 e de alta qualidade a agricultores pela Europa, e é detida 50-50 pela Orientempo, S.A. e pela Beotanics Ltd.

Orientempo é um grupo empreendedor português com investimentos nas áreas da agricultura, media, imobiliário e turismo. Beotanics Ltd é uma empresa irlandesa fundada por Patrick FitzGerald, há muitos anos envolvido e inovando na seleção genética, multiplicação e propagação de plantas, incluindo a da batata doce.

Para tal, a NativaLand construiu um grande Centro Europeu de Produção de Planta Batata Doce em Portugal, numa das suas regiões mais conhecidas pela agricultura, o Ribatejo, mais precisamente em Muge, a 65 km nordeste de Lisboa, a partir do qual está já a desenvolver, testar, produzir e a exportar plantas de batata doce para agricultores por toda a Europa.

O projeto da NativaLand Land irá contribuir significativamente para o crescimento da produção de batata doce na Europa e para o aumento da satisfação dos consumidores europeus, que valorizam os produtos locais e uma oferta mais diversificada.

O Prémio Nacional de Agricultura para Novos Projetos 2017 foi atribuído à Nativa Land no passado dia 1 de março, numa cerimónia em Lisboa que contou com a presença do Sr. Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos e dos principais players da agricultura portuguesa.

(*) – Baseado em estimativas da NativaLand