Empresas & Produtos Sanidade vegetal

Proteção da cultura da batata à luz das soluções Syngenta

A Syngenta realizou uma sessão formativa sobre estratégias de proteção da cultura da batata na cooperativa agrícola do concelho da Lourinhã, a que assistiram 115 agricultores e técnicos.

O Ribatejo e Oeste produz mais de um terço – 171.075 toneladas (INE, 2016) – de toda a batata cultivada em Portugal, sendo esta cultura uma importante fonte de rendimento para os agricultores da região. Neste contexto, é essencial garantir uma colheita abundante e de qualidade, mantendo os campos isentos de pragas e doenças.

A Syngenta afirma dispor de uma gama completa de soluções para proteção da cultura da batata. Por exemplo, no controlo da alternariose, uma doença que afeta tubérculos, caules e folhas da batateira, e que tem vindo a manifestar-se de forma mais severa nos últimos anos na região Oeste, a Syngenta recomenda o fungicida sistémico Score 250 EC, à base de difenoconazol.

Já no controlo das infestantes que competem com a batateira aconselha a aplicação do Arcade, um herbicida seletivo, à base de metribuzina e prosulfocarbe, para aplicação em pré-emergência, controlando as principais infestantes anuais dicotiledóneas e algumas gramíneas. Tem ação sobre erva-feijoeira (Fallopia convolvulus), uma das infestantes que surge frequentemente na cultura da batateira.

O míldio é a principal doença que afeta a cultura da batata em todo o mundo e manifesta-se com maior incidência em regiões com temperaturas amenas e humidade elevada, como é o caso da região Oeste de Portugal. “Com o míldio não se pode facilitar, é necessário adotar uma estratégia preventiva no controlo da doença. Ainda assim, mesmo com tratamentos bem posicionados, se ocorrer uma chuva após a aplicação do fungicida, há o risco de a substância ativa perder eficácia, devido ao fenómeno da lavagem”, explica António Gomes, presidente da Louricoop.

O Carial Flex vem minimizar esta situação graças à atividade sinérgica das duas substâncias ativas contidas na sua formulação. “Alguns dos agricultores associados da Louricoop experimentaram o Carial Flex em ensaios de batata nos últimos três anos, comprovando que o produto tem resistência à lavagem, porque adere muito bem e de forma rápida à camada cerosa das folhas. É uma nova ferramenta importante para manter a sanidade da cultura”, afirma presidente da Louricoop, cujos associados produzem cerca de 2.000 hectares de batata na região Oeste.

De acordo com a explicação da empresa, o Carial Flex contém na sua formulação uma combinação versátil de duas substâncias ativas – a mandipropamida (25%) e o cimoxanil (16%) –, que fazem deste fungicida um produto extremamente robusto no combate ao míldio. A mandipropamida tem máxima ação em aplicações preventivas, inibindo rapidamente o crescimento do fungo. O cimoxanil tem um modo de ação multimetabólico, com ação preventiva, curativa e anti-esporulante.