Evento realizado Formação

30 equipas, 150 estudantes e uma maratona de 24 horas consecutivas de provas

As 24H Agricultura Syngenta, cuja 3ª edição decorreu nos dias 7 e 8 de Abril de 2018, na Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, em Ponte de Lima, já se afirmaram como um marco na transição entre a vida académica e a carreira profissional das novas gerações de alunos das áreas das Ciências Agrárias.

Esta competição formativa é inédita na Europa, juntando anualmente 30 equipas, cerca de 150 estudantes, numa maratona de 24 horas consecutivas de provas. Este ano participaram estudantes de 13 instituições de ensino, vindos de Portugal Continental, Açores e Espanha.

Realizada sob orientação científica e pedagógica da Associação Portuguesa de Horticultura (APH), juntam-se na organização desta competição a IAAS Portugal-Associação Internacional de Estudantes de Agricultura e Ciências Relacionadas e a SFORI, empresa de formação experiencial. As empresas patrocinadoras, que também preparam provas para os alunos, foram: Syngenta, John Deere, Herculano Alfaias Agrícolas, Rocha Pulverizadores, Magos Irrigation Systems e Lipor.

Num carrossel de 30 provas teóricas e práticas, as 24H Agricultura Syngenta desafiam os participantes a encontrar soluções para problemas técnicos e de gestão da exploração agrícola. Na componente prática os estudantes testaram o seu conhecimento e destreza na resolução de alguns dos seguintes desafios: plantação de brássicas e instalação de sistema de rega gota-a-gota com medição da pressão da água; compostagem doméstica de resíduos orgânicos; cálculos para calibração de pulverizadores com condução de tratores em pomar; identificação de diferentes bicos de pulverização; engate de reboque em tratores; identificação de espécies fruteiras e florestais; análise sensorial de azeites, entre várias outras.

As 24H Agricultura Syngenta 2018 contribuíram também para a divulgação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (Agenda 2030) da ONU ao nível da academia das ciências agrárias. Os estudantes foram convidados a refletir e a sugerir formas de implementação de alguns destes 17 Objetivos na região onde decorreu a competição: “Erradicar a fome”, “Água potável e saneamento”, “Trabalho digno e crescimento económico”, “Produção e consumo sustentáveis”, “Proteger a vida terrestre”. Com o mote “Pensar global, Agir Local”, os estudantes foram também desafiados a criar uma marca e respetivo plano de marketing para um Vinho Verde inédito e solicitados a ajudar a empresa local Biodiversus- Agricultura Biológica Lda a criar estratégias de divulgação da Agricultura Biológica a nível regional e nacional.

Na componente de gestão, os estudantes criaram uma empresa hipotética na área agrícola, repercutindo alguns dos Objetivos da Agenda 2030 na criação de um plano de negócio e, posteriormente, aplicaram os pressupostos da Blue Ocean Strategy para otimizar este plano. Ao longo de toda a competição aprenderam e aplicaram estratégias de liderança, de gestão trabalho em equipa e de gestão de tempo.

De Norte para Sul de Portugal estiveram representadas as seguintes instituições de ensino: Universidade de Trás-os-Montes e Ato Douro, Instituto Politécnico de Bragança, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, Instituto Politécnico de Viseu, Instituto Politécnico de Coimbra, Escola Profissional Agrícola Afonso Duarte, Instituto Politécnico de Santarém, Instituto Politécnico de Portalegre, Universidade de Lisboa, Universidade de Évora, Universidade do Algarve e Universidade dos Açores. De Espanha vieram três equipas da Universidade Politécnica de Valencia.