Sanidade vegetal

Drosóphila de Asa Manchada e Podridão Acética das Uvas

A ação desta praga exótica – Drosóphila de Asa Manchada (Drosophyla suzukii) – sobre as uvas pode estar ligada ao aumento de casos de podridão ácida ou acética na altura da vindima. Deve desde já tomar algumas medidas preventivas tendentes à redução das populações e da gravidade de eventuais ataques.

Evite demasiado vigor da Vinha – reduza as adubações azotadas, mantenha o solo da vinha coberto de vegetação herbácea (enrelvamento).

Vigie e controle desde cedo a traça e o oídio.

Proceda, na altura apropriada, a despampas e a desfolhas em volta dos cachos para facilitar o arejamento, mas sem exageros para evitar o escaldão. Recolha todos os detritos de desfolhas e de despampas e retire-os da vinha.

Retire todos os bagaços, borras e outros restos de lagar e de adega das imediações da vinha. Estes resíduos da produção vinícola devem ser armazenados em local apropriado e cobertos, pois são um meio de atração e reprodução de Drosophyla suzukii e de outras espécies de drosófilas, que podem contribuir para o aumento da incidência e da severidade da podridão acética.

Como meio de redução das populações de drosófilas, instale na vinha, desde já, uma rede de armadilhas para a captura massiva destas moscas. O método já foi descrito nas circulares dos Avisos diversas vezes e é semelhante ao usado em culturas de pequenos frutos.

Textos de divulgação técnica da Estação de Avisos de Entre Douro e Minho nº 06 / 2018 (maio). Reedição

Consulte as edições anteriores dos Avisos.