Política Agrícola

Presidente da República contesta cortes na PAC

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse na abertura da Feira Nacional de Agricultura em Santarém que não pode haver cortes na Política Agrícola Comum, e reforça que não faz sentido, já que “existem vários países europeus unidos nesta causa, e até no próprio parlamento europeu já passou uma recomendação contra esse corte cego”.

Marcelo acrescenta que “a luta continua para conseguirmos da União Europeia muito mais do que aquilo que foi dado”.

Por sua vez o Ministério da Agricultura, Capoulas Santos que acompanhou o Presidente da República, informa que o Governo Português vai compensar os cortes com dinheiro do Orçamento do Estado, e até ao próximo ano tentar negociar melhores condições.

“Tivemos uma reunião em Madrid entre vários países: Portugal, França, Finlândia, Espanha, Irlanda, Grécia e Itália, e estamos disponíveis para fazer uma frente no Conselho Europeu de modo a encontrarmos formulas de reforçar o Orçamento Comunitário para que o esforço Português seja menor”.

O Presidente da República gostou de ouvir mas lembra que falta fazer mais. “A legislatura começa para o ano e vai até 2023, e é essencial percebermos se conseguimos ou não reduzir as desigualdades que existem em termos territoriais no nosso continente”

Em jeito de conclusão Marcelo diz mesmo que “não pode haver vários portugais a várias velocidades dentro de Portugal, não é possível porque se isso continuasse para o futuro, seria atrasar o país todo, uma vez que estamos no mesmo barco, e assim sendo é uma ilusão pensar que uma parte do país poderia avançar e o resto ficava para trás.”