Floresta Opinião Política Agrícola

Gestão ativa da floresta tem de ser compensada

O que está aqui em causa é a floresta de pequena dimensão, onde não existe rentabilidade por via da produção lenhosa.

É importante que exista essa mudança, não numa lógica tornar rentável essa floresta que não o é, mas sobretudo de pagar a quem gere, a quem faz ações ativas e incorre em custos para motivar essa gestão contínua.

Essa mudança terá de passar necessariamente pelo apoio a uma gestão ativa, com a certeza de que se houver um número significativo de produtores a fazerem-na, o ordenamento acaba por ser natural.

A forma de o fazer é através de um melhor desenho de medidas, ou até uma regionalização das próprias medidas para que todos os territórios tenham acesso a apoios financeiros que se adequem aos seus problemas.

Rosário Alves, Forestis

Mais na edição impressa de junho’18