Cereais Investigação

Otimização da aplicação de fertilização azotada em trigos melhoradores

O Projeto FERTITRIGO – Otimização da aplicação de fertilização azotada em trigos melhoradores, foi desenvolvido na sequência de outros e tendo como base o conhecimento de que os principais fatores que influenciam a produção e a qualidade do grão de trigo são os genéticos (variedade), as condições climáticas e as técnicas culturais, com destaque para a fertilização azotada.

A qualidade do trigo mole para panificação está intimamente associada à fertilização azotada, uma vez que a maior parte das análises de avaliação tecnológica têm na proteína do grão o característica fundamental.
A aplicação fracionada do azoto ao longo do ciclo vegetativo da cultura tem como principal fundamento a redução das perdas por lixiviação e volatilização, levando a um aumento da eficiência do seu uso.
Sob condições agroambientais que ainda assim favoreçam estas perdas, tais como períodos chuvosos ou regadio, os fertilizantes de eficiência aumentada (EEF) – produtos de libertação controlada ou de libertação lenta, e inibidores de nitrificação – podem melhorar a eficiência do azoto aplicado. Assim, os adubos específicos, aqueles que cedem os nutrientes de forma gradual, ao longo do ciclo da cultura, procuram aproximar-se da “solução ideal”. Trenkel (2007), classifica estes adubos da seguinte forma: (1) Libertação lenta – produtos de degradação microbiana, como ureia-formaldeído, baixa solubilidade; (2) Libertação controlada – produtos protegidos, revestidos por películas de enxofre, onde se inclui o NERGETIC 20-8-10; (3) Estabilizados – introdução de inibidores da nitrificação ou da hidrólise da ureia, onde se inclui o ENTEC 20-10-10.
Assim, importa avaliar se estes fertilizantes têm o potencial de melhorar os rendimentos do trigo e/ou reduzir as perdas de N quando utilizados em sistemas agrícolas de regadio. Por outro lado, do ponto de vista do itinerário técnico, interessa também, otimizar as fases críticas em termos de necessidades nutricionais do trigo: (i) sementeira; (ii) afilhamento, (iii) encanamento, (iv) emborrachamento e (v) ântese.
O principal objectivo do Projeto FERTITRIGO foi estudar o efeito da variedade e da época de aplicação e fracionamento de fertilizantes azotados clássicos e específicos na produção e na qualidade do grão de trigo mole para panificação.
Para tal, foram instalados em regime de regadio, durante dois anos agrícolas (2014/15 e 2015/16) na região de Beja, dois ensaios de campo, um com fertilizantes azotados clássicos e outro com fertilizantes azotados específicos, nos quais foram aplicados 165 kg N ha-1 e avaliadas quatro variedades de trigo mole melhorador (‘Antequera’, ‘Bancal’, ‘Paiva’, ‘Roxo’) sujeitas a diversos fraccionamentos/épocas de aplicação (Quadro 1 e 2), num delineamento experimental bifatorial (variedade × adubação) em parcelas subdivididas com quatro repetições.

Um artigo da autoria de Patanita, M.1,2, Dôres, J.1, Costa, M.N.1, Rosa, E.1, Martins, P.1, Ferro Palma, J. 1, Tomaz, A. 1,2, Espada, R. 1, Boteta, L.3, Costa, A.R.4, Pinheiro, N. 4, Gomes, C. 4, Bagulho, A.S. 4, Almeida, A.S. 4, Coutinho, J. 4, Coco, J. 4, Costa, A. 4, Maçãs, B. 4 para Ler na íntegra na Voz do Campo n.º 216 (junho 2018)