Agroalimentar Vinha & Vinho

Apcor na China para ensinar sobre cortiça

A Associação Portuguesa da Cortiça (APCOR) lança este mês de junho o seu primeiro programa formativo na China, o ‘CORK ACADEMY’, com as duas primeiras sessões realizadas em Xangai e Guangzhou a 26 e 28 de junho, respetivamente.

O programa da APCOR pretende oferecer aos formandos – educadores e profissionais de vinho – uma compreensão holística em relação ao vinho e à rolha de cortiça. Por isso mesmo, sustenta a Associação, o workshop abrange uma variedade de tópicos sobre a cortiça que vão desde a sua origem, produção, performance técnica e ambiental, e o papel da rolha de cortiça na venda do vinho.

Os participantes que concluírem o exame e se formarem na ‘Cork Academy’ serão certificados como ‘Approved Cork Educator’. Certificação que os autoriza a realizar ações de educação sobre cortiça na China, para as quais serão munidos de um conjunto de materiais informativos e de referência que os ajudarão a transmitir todo o conhecimento necessário sobre a cortiça e as rolhas de cortiça.

“Desde há vários anos a APCOR tem levado a cabo diversas iniciativas de promoção da cortiça na China. À medida que a escala e o nível de maturidade do mercado vitivinícola chinês aumentam, estamos conscientes de que os consumidores locais de vinho querem saber cada vez mais sobre cortiça”, afirmou João Rui Ferreira, Presidente da APCOR.

O dirigente associativo irá deslocar-se à China para abrir a “Cork Academy” e, deste modo, estreitar a relação entre os primeiros participantes na iniciativa, a cortiça e a APCOR.

Denis LIN, um conceituado educador de vinhos na China, que trabalha com a APCOR há vários anos, será um dos instrutores do programa da “Cork Academy”.

“À medida que a aceitação do vinho aumenta na China, tenho observado que um número crescente de consumidores locais deseja tornar-se um amante do vinho ‘informado e educado’. Isso explica a crescente popularidade das atividades de educação do vinho neste mercado, nos últimos anos. No entanto, apesar da sua importância para o vinho, a cortiça tem  sido um pouco esquecida nesta educação vinícola local. Isto acontece, provavelmente, porque os educadores de vinho ainda não estão devidamente informados sobre a cortiça e as suas vantagens para o vinho”, reforçou LIN.

Note-se que a China já é o sétimo país maior produtor de vinho, com cerca de 11 milhões de hectolitros, segundo dados da OIV, e com forte potencial de crescimento. A cortiça, segundo estudos realizados no mercado, está no top das preferências para os produtores e consumidores.

A registar: 97% dos consumidores acredita que a rolha de cortiça natural é benéfica para a qualidade do vinho (CTR, Setembro 2017) e estão disponíveis a pagar mais 5.15 US $ por um vinho que esteja vedado com cortiça (Nielsen, Maio 2017). A acrescentar ainda que 95% dos Top 100 vinhos mais vendidos na China estão vedados com rolha de cortiça (Nielsen, Maio 2017).