Sanidade vegetal Vinha & Vinho

Atenção ao míldio. A vinha está ainda em fase de sensibilidade

A previsão meteorológica para os próximos dias é de períodos de chuva ou aguaceiros (Minho) e apesar de o controlo do míldio não ter oferecido grande dificuldade até ao momento, a Estação de Avisos de Entre Douro e Minho alerta os viticultores para não descurarem o seu combate.

Assim, a quem não tenha a vinha protegida neste momento, recomenda a realização de um tratamento com um fungicida de ação preventiva e curativa.

Devem igualmente prosseguir as desfolhas e despampas moderadas, de modo a facilitar a circulação do ar em torno dos cachos e a penetração das caldas fungicidas.

Para combate ao míldio da videira no Modo de Produção Biológico, são autorizados produtos à base de cobre

Acrescenta ainda que no próximo tratamento anti-míldio, o viticultor deve juntar à calda um fungicida anti-oídio ou aplicar um produto de ação simultânea anti-míldio e anti-oídio.

Os bagos continuarão recetivos ao oídio até ao completo fecho do cacho e início do pintor.

Desfolhas moderadas expõem os cachos à luz (inimiga do oídio) e permitem o seu melhor arejamento, contribuindo para debelar ou impedir a instalação da doença.

Para combate ao oídio da videira no Modo de Produção Biológico, são autorizados fungicidas à base de enxofre e de hidrogenocarbonato de potássio (ARMICARB).

Legenda da foto: Mídio esporulado (rot gris) em cachos no estado grão de chumbo

Fonte: Estação de Avisos de Entre Douro e Minho

Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte