Agroalimentar

Alimentar uma população mundial em crescimento precisa de soluções sustentáveis

No âmbito do Simpósio Nacional da ANIPLA – a Associação Nacional da Indústria para a Proteção das Plantas –  os especialistas da produção agrícola, da alimentação e da ciência, estiveram reunidos em Coimbra para partilhar as mais recentes tendências de cada uma das áreas para a produção agrícola inteligente.

O Simpósio anual da ANIPLA teve como tema a “Agricultura Inteligente para o equilíbrio ambiental, económico e social”. O evento proporcionou o espaço e o tempo necessários para a apresentação de novos dados, fomentando um debate que está na agenda mundial e que apela à necessidade de se encontrarem soluções sustentáveis para alimentar uma população mundial em crescimento, com um intransigente respeito pelos recursos naturais
Com a sala cheia, a presidente da ANIPLA, Felisbela Campos Torres foi clara e direta quando reforçou o apelo pela capacidade de resiliência do setor agrícola: “Temos de ser cada vez mais intervenientes na defesa da agricultura e dos agricultores e a ANIPLA crê ser um parceiro crucial na defesa da sustentabilidade da atividade, agindo de forma transparente e com grande profissionalismo”.
Em representação do Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luís Medeiros Vieira, coube à subdiretora geral da DGAV, Direção Geral de Alimentação e Veterinária, Ana Paula Carvalho, a abertura da sessão e a responsável chamou a atenção para os atuais desafios que se impõem aos agricultores no domínio da proteção das suas culturas, como as alterações climáticas, a pressão crescente de pragas e doenças das plantas e a redução de substâncias ativas disponíveis. Realçou ainda a importância de se promover a inovação tecnológica na produção alimentar.
No final da sessão, o diretor executivo da ANIPLA, António Lopes Dias, congratulou os inúmeros participantes pelo empenho e contributo inegável na iniciativa, reforçando a confiança no trabalho conjunto multissetorial. O responsável da Associação tem partilhado publicamente a preocupação perante uma população que tem demonstrado crescente desconfiança na qualidade e segurança da produção agrícola, apesar dos dados científicos que reafirmam um setor de elevado rigor na proteção das culturas e manutenção do controlo da qualidade. Para António Lopes Dias, “o grande desafio atual do nosso setor é fazer com que os consumidores saibam exatamente o que fazemos e que nos dê a devida importância”.