Agroalimentar Evento

Boticas. Feira Gastronómica do Porco gera negócio de meio milhão de euros

A realização da Feira do Porco é a oportunidade ideal para meia centena de produtores poderem comercializar e colocar à disposição dos mais de 70 mil visitantes o resultado de um ano de trabalho árduo, mas ao mesmo tempo profícuo.
São disponibilizadas para venda durante todo o evento mais de 40 toneladas de fumeiro, o que se traduz num volume de negócios de meio milhão de euros.

A Feira Gastronómica do Porco de Boticas acontece na vila barrosã desde 1998, no segundo fim de semana do mês de janeiro, disponibilizando aos milhares de visitantes uma vasta oferta de produtos endógenos e um diversificado programa de atividades culturais.
A 21ª edição do certame realiza-se já nos dias 11, 12 e 13 de janeiro, no Pavilhão Multiusos, coma organização, a cargo do Município de Boticas em conjunto com a empresa intermunicipal EHATB -Empreendimentos Hidroeléctricos dos Alto Tâmega e Barroso, prevê que seja, mais uma vez, um sucesso.
São mais de duas décadas de experiência que fizeram da Feira Gastronómica do Porco um certame de renome nacional e internacional, principalmente do outro lado da fronteira, por isso, tem vindo a tornar-se num fator impulsionador do concelho Barrosão. Tal deve-se, sobretudo, ao incentivo de investimento em atividades como a agricultura e pecuária que, em consonância uma com a outra, dão origem a alguns dos melhores produtos agropecuários da região.
Entre o vasto leque de produtos com origem em Boticas surge o fumeiro, os enchidos e o presunto, elementos diferenciadores deste território.
O segredo da qualidade deve-se, em primeiro lugar, “à forma como os produtos são confecionados, nomeadamente através de métodos e técnicas artesanais e, em segundo lugar, ao rigoroso controlo de qualidade a que são submetidos”.
Estes fatores conjugados são garantia de produtos de qualidade ímpar e de um sabor inconfundível, particulares de uma região recentemente classificada como Património Agrícola Mundial.
Além dos expositores de fumeiro, o certame conta ainda com a presença de mais de três dezenas de stands de venda de produtos alimentares e artesanato.

Para ler na íntegra na Voz do Campo n.º 221 (dezembro 2018)