Empresas & Produtos Hortofruticultura

Fepal. Proximidade aos clientes assegura “serviço de excelência”

Iniciou a atividade no Oeste, mas rapidamente se estendeu a outras regiões, sendo Lamego o mais recente local onde abriu instalações. Desta forma a Fepal assegura uma resposta rápida e personalizada a cada um dos seus clientes.

Especializada no fabrico de embalagens de madeira e cartão (para hortícolas e frutícolas) a Fepal iniciou a sua atividade na região Oeste em 1990. Primeiro foram as embalagens de madeira que suportaram o negócio mas com a entrada de novos materiais neste setor, nomeadamente os plásticos e o consequente fecho de portas às caixas de madeira por parte dos supermercados, este segmento de negócio sofreu um revés. Entretanto a empresa tinha já dado início ao fabrico de embalagens de cartão, área que continuou sempre em crescendo. Anos mais tarde o segmento das embalagens de madeira ganhou novo fôlego, sobretudo para exportação, mas o cartão já não deixou de ser a principal área de negócio.
Paralelamente, a empresa já estava presente em vários pontos do país, nomeadamente através da aquisição de outra empresa “Embala na Hora”. Hoje em dia tem instalações no Bombarral, Alcobaça, Torres Vedras, Algarve (Tunes) e este ano abriu novo espaço em Lamego que está a funcionar em pleno e tem registado a adesão dos clientes da Fepal oriundos daquela região, mas também tem sido procurada por outros quando estão a perceber as vantagens do seu modo de trabalhar. Desta forma, está a conquistar o mercado da embalagem da Maçã de Montanha, da Maçã da Beira Alta (IGP), aliás à semelhança de outros produtos certificados a nível nacional.
Esta dispersão a nível geográfico coaduna-se com a forma de trabalhar da empresa que para além de fornecer os produtos aos seus clientes também lhes disponibiliza o serviço de stocks, libertando-lhes espaço mas assegurando-lhes as entregas nos timings definidos, sem desperdício porque são entregues exatamente as caixas solicitadas (podem variar muito consoante os mercados). O diretor da empresa, Bruno Santos, reforça que “para assegurar este serviço a empresa tem de estar próxima dos seus clientes e tem sido esta excelência que tem feito com que a Fepal esteja a crescer”.

Para ler na íntegra na Voz do Campo n.º 221 (dezembro 2018)