Agropecuária Evento realizado

Produtividade e eficiência da suinicultura nacional premiadas na Gala Porco d’Ouro

A Vila de Porto de Mós é o local escolhido para acolher a quarta edição da Gala Porco d’Ouro, o evento que distingue, anualmente, a produtividade e eficiência dos empresários do setor suinícola nacional e que este ano se realiza a 21 de junho. São 78 os nomeados para os galardões.

Ao todo são 31 os prémios a ser entregues às explorações candidatas que se distribuem em três escalões, organizados segundo a dimensão do seu efetivo reprodutor. Em termos de distribuição geográfica dos lugares do pódio das nomeações, Torres Vedras lidera o ranking com 11 indicações para prémios, seguido do concelho do Cadaval com 8 nomeações, e, por fim, Alcobaça, Palmela e Azambuja, todas com 6 nomeações.

No ano em que o início da exportação de carne de porco portuguesa para a China impacta positivamente o setor, e perante uma audiência já confirmada de 600 agentes da cadeia de valor, o setor comemora, igualmente, o alargamento do protocolo de exportação para o referido país, explica a Federação Portuguesa das Associações de Suinicultores, sendo que metade da negociação para miudezas, atualmente em curso, está concluída. Os pezinhos foram incluídos nas peças aprovadas pelo Estado Chinês para entrarem neste mercado, o que representa mais 10 milhões de euros de volume de negócios para a suinicultura portuguesa e que se somam aos já anunciados 100 milhões de Euros com origem neste negócio para o ano de 2019.

O evento tem ainda mais duas novidades. Na quarta edição da Gala Porco D’ouro serão atribuídas duas novas distinções. O Prémio Inovação Zoetis que incentiva os produtores a apostar na investigação e na inovação aplicada como elemento básico para a melhoria das explorações. O galardão distingue ideias originais, não podendo estas ser desenvolvimentos comerciais, cuja implementação, em qualquer âmbito – maneio, gestão de recursos humanos, meio ambiente, instalações, biossegurança, genética, eliminação de resíduos, sanidade animal ou bem-estar animal – tenha resultado na melhoria e inovação da exploração. A nova categoria vai distinguir melhorias que respondam com qualidade a quatro critérios essenciais, nomeadamente, Criatividade – é avaliada a originalidade, assim como a relevância e grau de inovação científica ou tecnológica do projeto; Eficiência – é avaliado o impacto económico sobre o beneficiário; Aplicabilidade e replicação noutras explorações – é analisada a possibilidade de a inovação ser replicável em outras estruturas produtivas, e, finalmente, Resposta a uma necessidade ou desafio setorial – é valorizado o facto de a inovação implementada colmatar uma necessidade identificada pelo setor, de uma maneira geral. A segunda novidade é o Prémio Especial Porco D’Ouro Ministério da Agricultura para a Sanidade, Bem-estar animal e Ambiente, a ser entregue pelo Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos, que distingue explorações com um bom desempenho em mais de 80 critérios relacionados com o espaço dos animais nas explorações, a gestão de efluentes ou os programas sanitários que bloqueiam a propagação de doenças animais como a Peste Suína Africana.