Apicultura

Mel extraído na Central Meleira de Castelo Branco tem aumentado nas últimas três campanhas

No  Encerramento da Campanha 2019, a Central Meleira de Castelo Branco,  infraestrutura criada pela Câmara Municipal de Castelo Branco e gerida pela Meltagus, apresentou um crescimento acentuado nos valores obtidos.

De acordo com a informação avançada à comunicação social, ao longo dos últimos três anos os valores dos produtos processados pela Central Meleira têm apresentado um acentuado crescimento. Em 2017 o mel extraído correspondia a 31 toneladas, em 2018 correspondia a 36 toneladas, verificando-se em 2019 um aumento do mel extraído que atingiu as 46 toneladas.

Já relativamente à cera processada, a nota refere que em 2017 os valores corresponderam a 2 toneladas, em 2018 a 4 toneladas e este ano a previsão é de cerca de 6 toneladas.

Na secagem e triagem de pólen em 2017 obtiveram-se 182kg, em 2018, foram 1000kg e em 2019 atingiram-se 1900kg, dos quais 1100kg provenientes da região de Castelo Branco.

Odete Gonçalves, Presidente da Meltagus, reforça o investimento que a Câmara Municipal de Castelo Branco tem feito, bem como a preocupação da autarquia com os melhoramentos da central que, para além de aprimorarem a qualidade do mel, melhoram os processos inerentes a esta atividade.

Questões relativas à Vespa Velutina também foram levantadas sendo que a Meltagus, em articulação da autarquia albicastrense, tem atuado na prevenção deste inseto, como refere Odete Gonçalves, acrescentando que este “é um problema nacional, mas é também um problema dos apicultores”.

O setor do mel está a ganhar mais relevância e destaque no concelho que conta, atualmente, com cerca de 32 mil colmeias.