Hortofruticultura

Fileira Europeia da Castanha reuniu em Portugal e pediu mais apoio para aumentar a produção

O apelo foi lançado durante o X Encontro Europeu da Castanha, decorrido em Trancoso e Penedono, entre os dias 12 e 13 de setembro de 2019, numa organização da EuroCastanea – Rede Europeia da Castanha, em conjunto com os municípios de Trancoso e Penedono, a Cooperativa Agrícola de Penela da Beira e a RefCast – Associação Portuguesa da Castanha.

Para satisfazer a procura Europeia de castanha, a Eurocastanea alerta para a necessidade de a Europa aumentar em 40 000 hectares a atual área de castanheiro. No entanto ficou o alerta, de que a carência de castanha não é de castanha de variedades precoces híbridas, mas sim das variedades tradicionais de cada país.
No Encontro estiveram cerca de 280 participantes de sete nacionalidades, conferindo ao Encontro um verdadeiro carácter Europeu. A cerimónia de abertura, foi presidida pelo Secretário de Estado das Autarquias Locais, Carlos Miguel, que destacou a necessidade da aposta na valorização da castanha e teve ainda intervenção dos Presidentes de Câmara dos dois municípios organizadores que destacaram o carácter estruturante da fileira da castanha para os concelhos e daí toda a atenção que lhe tem sido dada. Da parte de Jean Louis Moulon, representante da AREFLH foi destacado o papel desta organização como elo de ligação das regiões frutícolas europeias com a UE. Por fim destacou o apoio que a AREFLH dá à EuroCastanea. Em nome da EuroCastanea, José Gomes Laranjo deixou um desafio para que o setor consiga os apoios dos diferentes governos nacionais que permitam aumentar a área de castanheiro na Europa. José Ângelo Pinto, em representação da RefCast deixou um agradecimento a todos quantos se envolveram nesta organização, tendo destacado o elevado número de participantes registado neste Encontro.
Para além de permitirem a divulgação das novidades técnicas, a análise sobre o estado da fileira e o desenho de estratégias comuns para os problemas da atualidade que a fileira vive e das novidades técnicas, estes Encontros são já um marco anual de reunião da fileira.

Tema central deste Encontro, a podridão castanha provocada pela Gnomoniopsis castaneae,  será um dos problemas para os próximos anos

O tema central deste Encontro, a podridão castanha provocada pela Gnomoniopsis castaneae, será um dos problemas para os próximos anos. Está a merecer muita atenção por parte de investigadores e transformadores pela grande percentagem de estragos que causa na castanha, sendo uma podridão muito favorecida por ataques fortes da vespa das galhas do castanheiro.
Os trabalhos começaram com uma reunião que juntou investigadores de toda a Europa, no dia 11 de setembro. A aproximação do setor aos investigadores europeus que trabalham nesta fileira tem sido uma das preocupações da EuroCastanea, estando definidas seis grandes áreas de trabalho: podridões do fruto, pragas, alterações climáticas, doença da tinta, doença do cancro, e castanha – fruto de saúde. O setor está a organizar uma mensagem clara, mas suficientemente forte para despertar a atenção e consequente apoio dos governantes para as fragilidades que o setor vive.
Durante o X Encontro decorreu também a Assembleia Geral do EuroCastanea, que marcou a adesão da Áustria, que assim se junta a Portugal, Espanha, França e Itália.
O Encontro terminou com uma homenagem a Armindo Afonso Martins, Manuel Cardoso Simões e Joaquin Vasquez Alonso, personalidades de reconhecido mérito no setor.

 

José Gomes Laranjo
EuroCastanea/RefCast