Desenvolvimento Local Investigação

Conteira. De invasora a matéria-prima geradora de empregos e amiga do ambiente na substituição de plásticos

O crescente desemprego e as dificuldades com que famílias inteiras se debatiam para ultrapassar inexistências básicas do sustento face à consternação sócio-económica que se vivia em Portugal por altura de 2012 foram razões para prolongadas e repetidas reflexões, nomeadamente nos Açores. Neste cenário, e com inspiração na natureza, nasceu a convicção de que a planta conteira (Hedychium Gardnerianum – espécie invasora no Arquipélago dos Açores) seria uma fonte de transformação e um potencial de saída. Valorizar o resíduo vegetal desarmonioso e com custos indexados a processos de erradicação em matéria-prima geradora de empregos e amiga do ambiente na substituição dos plásticos.
A primeira manifestação pública aconteceu no ano 2013 após apresentação da ideia à Universidade dos Açores pelas PhD Helena Cristina Vasconcelos e Maria Gabriela Meirelles com a designação de “Conteira Amiga”, aquando da candidatura ao programa europeu “a world you like with a climate you like”, a propósito do que a então Comissária Europeia para a Acção Climática, Connie Hedegaard, na altura disse: “…as alterações climáticas não são um problema ambiental a ser ignorado – tem de ser integrado em estratégias de crescimento económico…”
Logo em 2013 realizaram-se inúmeras reuniões com diferentes individualidades e entidades consideradas estratégicas para sedimentar a ideia e no mês junho, numa reunião no Centro de Empreendedorismo da Universidade dos Açores, a Cooperativa União Agrícola/Associação Agrícola de S. Miguel (CUA/AASM), na pessoa do então e atual Presidente, Jorge Rita, concordou em juntar-se ao crescimento e definição da ideia.
conteiraEntretanto a ideia cresce, os contactos multiplicam-se e à equipa juntam-se a PhD Maria João Pereira e o aluno universitário de Biologia na área de Ambiente, Afonso Pinto, até que em 2016 foi atribuída uma bolsa de doutoramento pelo FRCT – Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia – para o estudo da Funcionalização de Fibras Naturais para Aplicações Avançadas/Conteira ao bolseiro de doutoramento e membro da equipa, PhD Student Telmo Eleutério
Em maio de 2017 o projeto “Conteira Amiga” adota a designação de Innovation Green Azores (IGA), potenciando o valor e exposição internacional. Logo no início de 2018 dois quadros da CUA/AASM, Nuno Sousa e Nelson Barroso, integram a equipa e em representação da entidade Promotora, dedicam ao projeto significativa colaboração no âmbito da elaboração do dossier de candidatura, submetido ao PO 2020 no mês de agosto do mesmo ano.
O projeto de investigação (execução em 24 meses), foi aprovado e iniciou-se em dezembro de 2018 – “Valorização de Fibras de Conteira e Produtos Endógenos” – Eixo Prioritário 1.2.1 – Investigação & Desenvolvimento de contexto empresarial.

Para ler na íntegra na Voz do Campo n.º 231 (novembro 2019)