Empresas & Produtos Olival & Azeite

Elaia investe na conservação da biodiversidade do olival

A Elaia nasceu em 2007 com a ambição de plantar o maior olival do mundo no Alentejo. O sonho tornou-se realidade e este projeto agrícola é hoje uma referência mundial. A Syngenta apoia a Elaia no incremento da biodiversidade nos olivais e nas boas práticas de proteção da cultura.

A Elaia é um dos principais players internacionais na produção de azeitona e azeites da categoria virgem extra, detendo uma área total de 12.000 hectares de olival em Portugal (9.500 ha), Espanha (2.000 ha) e Marrocos (1.000 ha) e 4 lagares (Ferreira do Alentejo, Avis, Badajoz e Marraquexe). Os seus azeites são vendidos a granel em Portugal, Espanha e Itália e nos últimos 5 anos conquistaram 20 medalhas, incluindo 3 medalhas de ouro no concurso “Mario Solinas”, organizado pelo Conselho Oleícola Internacional.
“Os nossos azeites são muito procurados porque são os primeiros do ano a surgir no mercado internacional. São verdes e frescos, , conferindo estas características aos lotes preparados pelos nossos clientes”, explica Isabel Ribeiro, responsável de Sustentabilidade e Desenvolvimento de Negócio na Elaia.
A Elaia tem em curso uma estratégia de sustentabilidade ambiental, visando a preservação dos recursos naturais e proteção da biodiversidade nas suas 80 herdades. Há mais de uma década foi pioneira ao introduzir enrelvamento na entrelinha dos olivais, com vantagens na redução da erosão do solo, na conservação da humidade no solo e na fixação de polinizadores e insetos auxiliares. Paralelamente, tem vindo a investir em áreas de conservação natural, potenciando zonas de montado, melhorando margens de linhas de água e corredores ecológicos, que servem de habitat ou refúgio para pássaros, insetos e outros animais.

Protocolo Elaia-Syngenta
Fruto desta vontade de conservar os valores naturais, a Elaia assinou em Junho de 2019 um protocolo de colaboração com a Syngenta na área da gestão sustentável, visando a preservação da água, do solo e da biodiversidade. Uma das ações previstas é a instalação de margens multifuncionais com plantas vivazes nas bordaduras dos olivais, para atrair insetos polinizadores e artrópodes auxiliares. As misturas de sementes que compõem estas margens multifuncionais foram desenvolvidas pela Syngenta no âmbito do projeto Operation Pollinator.
“Vamos fazer um teste junto de oliveiras antigas para perceber se a quantidade e a diversidade de insetos auxiliares aumenta após a instalação das margens com as sementes do Operation Pollinator, nós acreditamos que sim», afirma Isabel Ribeiro, explicando que «os polinizadores não são essenciais na cultura da oliveira, mas muitas outras espécies de plantas que existem nos nossos olivais precisam deles para se desenvolver, e nós precisamos desta maior diversidade de insetos e plantas no olival”.

Rega eficiente
No capítulo da preservação da água, a Elaia atua a montante, no planeamento da plantação do olival, e a jusante, na gestão diária da rega gota-a-gota. “Antes da instalação de cada olival fazemos um estudo detalhado do solo para desenhar os setores de rega ajustados às características dos solos”, explica Isabel Ribeiro. Os engenheiros agrónomos da Elaia têm no telemóvel toda a informação que precisam para tomar as melhores decisões de quando, quanto e onde regar. A partir da plataforma “Elaia Irrigation Resource Planning” controlam os programadores de rega das 80 herdades e fazem as encomendas de rega, apoiados por previsões meteorológicas e informação dos níveis de humidade do solo, medidos por sondas.

“O Operation Pollinator trará vantagens para este conjunto de biodiversidade que estamos a criar dentro das herdades. Trata-se de potenciar o ecossistema melhorando-o”

Isabel Ribeiro, responsável de Sustentabilidade e Desenvolvimento de Negócio na Elaia

Artigo extraído da “Syntesis”, publicação corporativa da Syngenta Portugal | Créditos das Fotos: ELAIA

Para ler na íntegra na Voz do Campo n.º 231 (novembro 2019)