Política Agrícola Sanidade vegetal

Programa experimental de luta biológica contra a Trioza erytreae

O Ministério da Agricultura anunciou recentemente que deu início ao programa experimental de luta biológica contra a praga de quarentena Trioza erytreae.

O programa teve início com largadas experimentais do inseto parasitoide especifico Tamarixia dryi, em 4 locais na região Centro do país e 3 locais na região Oeste, realizadas no mês de outubro.

Trioza erytreae, além de provocar estragos diretos consideráveis nos citrinos, é vetor da doença, considerada como a mais grave a nível mundial para estas espécies vegetais, denominada Huanglongbing (ou Citrus greening) causada pela bactéria Candidatus liberibacter, ainda não presente no território europeu, mas que se pretende evitar a sua entrada.

As largadas do inseto parasitoide resultaram de colaboração entre a Direção Geral de Alimentação e Veterinária e a Dirección General de Sanidad de la Producción Agraria, o Instituto Superior de Agronomia, o Instituto Instituto Canario de Investigaciones Agrarias e o Instituto Valenciano de Investigaciones Agrarias.

A largada experimental, acompanhada também pelas Direções Regionais de Agricultura e Pescas de Centro e de Lisboa e Vale do Tejo, envolveu a libertação de cerca de 1800 insetos, informa o Ministério.

«Os resultados já obtidos em outras regiões, nomeadamente nas Ilhas Canárias, indicam excelentes taxas de parasitismo que estão a conduzir ao bom controlo da Trioza erytreae. Programa similar foi iniciado também, em outubro último, na Galiza», acrescenta o comunicado. Os locais onde foram agora realizadas a solta dos insetos, em território nacional e também na Galiza, estão a ser monitorizados esperando-se vir obter os primeiros resultados na próxima Primavera.