Hortofruticultura Inovação

Há dinâmica, juventude e inovação na produção de prunóideas

A Cova da Beira continua a ser a região de excelência para a produção de prunóideas em Portugal, nomeadamente a cereja e o pêssego e foi precisamente a cidade da Covilhã que recebeu a segunda edição das Jornadas Técnicas das Prunóideas.

A segunda edição das Jornadas Técnicas das Prunóideas contou com a organização da Universidade da Beira Interior (UBI), Associação de Proteção Integrada e Agricultura Sustentável do Zêzere (Appizêzere), Associação de Agricultores de Produção Integrada dos Frutos de Montanha (Aapim), Quinta de Lamaçais, Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco, Cerfundão, Tree4fruta e Centro Operativo e Tecnológico Hortofrutícola Nacional (Cothn).

Centradas nas principais oportunidades e desafios que os produtores enfrentam as Jornadas desenrolaram-se num programa de três grandes temas – “Proteção das Prunóideas”, “O trabalho na exploração agrícola” e “Fruticultura 4.0” -, abrangendo áreas como nutrição, projetos, pragas, doenças, prevenção de acidentes de trabalho, produção certificada, Política Agrícola Comum, novas embalagens e novas tecnologias, entre outras.

Um momento importante do programa foi precisamente a Mesa Redonda: Jovens Fruticultores Produtores de Prunóideas, onde quatro jovens que escolheram esta profissão e apostaram na fruticultura deram o seu testemunho.

São jovens, inovadores, exploram novos mercados, reconhecem as vantagens da utilização das novas tecnologias e da constante comunicação, quer com outros produtores, as associações e organizações de produtores, as instituições de ensino e os organismos oficiais.

Para ler na íntegra na Revista Voz do Campo, edição n.º 232 (dezembro 2019)

Adquira aqui a Revista. ↵