Empresas & Produtos Floresta

Empresa líder nos cogumelos vai fechar uma fábrica e dispensar 100 pessoas

O grupo Sousacamp vai passar para as mãos de uma capital de risco após o Novo Banco e o Crédito Agrícola perdoarem 35 milhões de euros, vai fechar a unidade industrial de Paredes e concentrar a produção em Vila Flor e Vila Real, reduzindo o efetivo para 350 pessoas.

O grupo fundado por Artur Santos vai passar para as mãos da capital de risco Core Capital.

A cerca de duas semanas da assembleia de credores que deverá aprovar o plano de recuperação da maior produtora portuguesa de cogumelos, que propõe a sua entrega à capital de risco Core Capital, após um perdão de dois terços de uma dívida de 60 milhões de euros, os mais de 450 trabalhadores do grupo Sousacamp ficaram a saber que perto de uma centena deles serão dispensados.

A produção será concentrada nas fábricas de Benlhevai (Vila Flor) e Vila Real, encerrando-se os setores de colheita e produção da unidade industrial de Paredes, que continuará a centralizar as áreas de embalamento e expedição do grupo, onde trabalham mais de 100 pessoas.

“Para a opção de concentrar a produção nas duas unidades localizadas no interior – Benlhevai e Vila Real, ao invés de Paredes, pesou, além das questões estruturais subjacentes à própria unidade – que é aquela que apresenta maiores necessidades de intervenção -, o facto de ser em Paredes que existe a maior facilidade para recolocação dos colaboradores no mercado de trabalho, em razão da existência de um tecido industrial mais vasto e dinâmico”, explicou, ao Jornal de Negócios, o administrador de insolvência da empresa.

Fonte: Jornal de Negócios