EMPRESAS & PRODUTOS Hortofruticultura

STET apresentou campo de variedades de batata em cultivo estival

Afirmando a sua vocação inovadora, a AdviceAgriBusiness – empresa responsável pelos negócios da STET em Portugal, liderada por Sérgio Margaço, fez uma apresentação em campo, no passado dia 17 de dezembro de duas dezenas de variedades de batata da STET.

O campo de demonstração foi instalado no final de julho, numa parcela do produtor António José Caçoete, em Pinhal Novo.

Trata-se de um ciclo estival de produção de batata, uma vez que a plantação é feita durante o verão e o ciclo da cultura prolonga-se normalmente até ao final do outono. A produção de batata estival iniciou-se na Península de Setúbal há mais de 4 décadas e tem tido uma evolução importante ao longo dos anos, expandindo-se para regiões limítrofes – Ribatejo e Oeste e Alentejo Litoral. Para a realização desta cultura é necessário dispor de solos arenosos com boa permeabilidade e drenagem interna, localizados em zonas com baixo risco de geadas, assim como capacidade de rega e conhecimento adequado sobre a cultura da batata em geral, e sobre as variedades com melhor adaptação ao ciclo estival. Registe-se que os melhores resultados obtêm-se com variedades precoces, de ciclo mais curto que possam completar o seu ciclo cultural antes da formação da primeira geada de outono/inverno. Também é muito importante que as variedades tenham boa resistência ao míldio, porque normalmente a cultura desenvolve-se numa época do ano com vários dias de humidade do ar próxima de 100 %.

A batata estival (também designada por ‘Batata de verão’) possibilita o alargamento temporal da oferta de batata nova portuguesa com elevada qualidade – normalmente, disponível de dezembro a abril, o que complementa a oferta da produção obtida no ciclo de inverno/primavera, com colheita de abril a setembro. Daqui resulta a importância desta cultura estival que quase permite fechar um ciclo anual de disponibilidade de batata nacional, sendo que algumas centrais de normalização e embalamento, em Portugal, já caminham neste sentido, porque há mercado para a batata nacional nos 12 meses do ano.

O campo de demonstração foi visitado por vários produtores, técnicos, distribuidores e embaladores que tiveram oportunidade de verificar a produtividade, calibre, homogeneidade e a qualidade em geral, das variedades de batata da STET.

Consideramos que o resultado da apresentação deste campo foi muito positivo, porque os visitantes tomaram contacto com algumas variedades com enorme potencial de produção e qualidade e que representam importantes alternativas para a produção de batata. Por outro lado, recebemos comentários muito interessantes da parte de algumas pessoas sobre o comportamento das variedades STET, também neste ciclo estival” comentou Sérgio Margaço.

Neste campo de demonstração de batata estival, as variedades com maior destaque foram as seguintes:

Destaca-se pela precocidade (ciclo mais curto do que a maioria das variedades), elevado potencial de produção em todo o tipo de solos (mesmo arenosos), boas resistências às principais doenças, excelente capacidade de conservação, assim como pelo facto de ter polpa amarela e matéria seca de mais de 21 %. (…).

Desenvolvimento deste e de outros artigos, na edição impressa da Revista Voz do Campo.