Hortofruticultura

A curto-médio prazo perspetiva-se a criação de variedades de maçã e peras únicas no mundo

Como vem sendo hábito, a Estação Nacional de Fruticultura Vieira Natividade realizou a 4ª Sessão de Divulgação em Fruticultura com o objetivo de divulgar alguns dos trabalhos de Investigação e Experimentação realizados durante o ano em curso.

O auditório da Estação Nacional de Fruticultura Vieira Natividade (ENFVN) em Alcobaça esteve repleto com cerca de 170 participantes, maioritariamente técnicos de organizações de produtores e empresas, fruticultores, representantes de empresas comerciais, professores, alunos e outros profissionais do setor (Fig.1) para assistirem à 4ª Sessão de Divulgação em Fruticultura. Depois da sessão oficial de abertura (Fig. 2) deu-se início à sessão técnica, moderada por João Lima (vogal do CD do INIAV, I.P.).

Na 1ª parte da sessão Miguel Leão (Investigador do INIAV/ENFVN) apresentou resultados dos trabalhos em curso nas áreas da densidade de plantação, nutrição vegetal, adaptabilidade de variedades e clones de macieiras e ainda, as vantagens económicas subjacentes à correta definição e planeamento da colheita. Seguiu-se a apresentação de Marta Gonçalves (Técnica Superior, Bolseira do INIAV / ENFVN) sobre o tema “Contributo para a previsão da queda fisiológica em pera Rocha” que relatou o trabalho iniciado em 2019 sobre a queda fisiológica em pera ‘Rocha’ e a conceção de um modelo de previsão.

A construção deste modelo justificase pela importância de prever a queda fisiológica no período pós vingamento, quando é mais intensa, tomando decisões com impacto na produção final como sejam a otimização da colocação dos agentes de monda ou, pelo contrário, a implementação de estratégias que visem contrariá-la quando os valores previstos estejam abaixo do objetivo comercial. (…)

Desenvolvimento deste e de outros artigos, na edição impressa da Revista Voz do Campo.