Agrociência Empresas & Produtos

A partir de uma bactéria há um biofertilizante que promete revolucionar a agricultura

Methylobacterium symbioticum: esta bactéria deu origem a um biofertilizante que promete revolucionar a agricultura.

BlueN é o nome do primeiro biofertilizante de azoto de máxima eficácia que chega agora ao mercado com o objetivo de aumentar a rentabilidade das culturas, gerir e reduzir a fertilização azotada em agricultura biológica, convencional, e em áreas protegidas, de forma a evitar a acumulação de nitratos nos solos.

O BlueN é eficaz em todas as culturas e os ensaios realizados demonstram que as necessidades das plantas podem ser reduzidas entre 40% e 60%.

Equipa da Hubel Verde e da Symborg na apresentação global do BlueN em Múrcia

Distribuído em Portugal exclusivamente pela Hubel Verde, o BlueN apresenta-se como solução para problemas ambientais e económicos, permitindo tornar a produção de culturas de larga, média e pequena extensão cada vez mais sustentáveis. O que torna BlueN diferente dos demais fertilizantes do mercado?

O modo de atuação do produto que demonstra que a sustentabilidade e rentabilidade não estão em desacordo e que a agricultura e o meio ambiente não são inimigos. Tecnicamente, a eficácia deste produto baseia-se no facto de que, quando é aplicado, a bactéria (Methylobacterium symbioticum) instala-se nas células, penetrando através dos estomas e aí permanece durante todo o ciclo vegetativo, sendo necessária apenas uma aplicação.

Aumentar a rentabilidade das culturas sem impacto ambiental

A acumulação de nitratos nos solos e nos cursos de água é uma das principais causas de poluição proveniente da atividade agrícola. O uso excessivo de produtos azotados é prática comum e um problema que tende em persistir.

Autoria: Hubel Verde

Desenvolvimento deste e de outros artigos, na edição impressa da Revista Voz do Campo.