Investigação

Potencial ferramenta para o biocontrolo das doenças do lenho na vinha

Um grupo de investigação australiano identificou uma estirpe bacteriana potencialmente eficaz no combate às doenças do lenho na vinha.

A investigação realizada pela Universidade Charles Sturt na Austrália tem como objetivo geral o estudo de infeções fúngicas que provocam doenças do lenho na vinha, Grape Trunk Diseases (GTD), tendo identificado uma estirpe bacteriana do género Pseudomona que demonstrou um grande potencial como agente de controlo biológico.

Inicialmente, foram colhidas amostras de diversas estirpes de bactérias Pseudomonas de vinhas cultivadas em Wagga Wagga, Hilltops e Hunter Valley na Nova Gala do Sul. Estas estirpes foram estudadas em laboratório, avaliando em particular a sua capacidade de inibir os fungos responsáveis pelas duas doenças do lenho mais comuns na Austrália, eutipiose ou Eutypa dieback e a Botryosphaeria dieback ou Black Dead Arm (BDA), ou ainda podridão descendente.

Seguidamente, foram estudadas as estirpes bacterianas mais eficazes na vinha para avaliar o seu real efeito: estacas de videira foram submersas em suspensões bacterianas e foi observado que as bactérias são facilmente absorvidas, demonstrando o uso potencial deste método nos viveiristas com o intuito de proteger as plantas. As bactérias também foram igualmente injetadas na vinha em vasos, obtendo como resultado a colonização completa da planta pelas bactérias em seis meses.

Este estudo representa um importante avanço que poderá facilitar o controlo biológico das doenças do lenho (GTD), uma vez que esta estirpe bacteriana demonstrou a sua eficácia na eliminação de doenças do lenho e a sua capacidade de colonizar as plantas.

Este projeto faz parte de um programa de investigação mais amplo financiado pelo Wine Australia e visa melhorar as estratégias de gestão das doenças da vinha e o desenvolvimento de ferramentas tal como o aplicativo gratuito Grape Assess  e o Guia de melhores práticas para a gestão das doenças do lenho da vinha.

Fonte: Infowine