Floresta

Conservação da Natureza quer contratar 50 assistentes operacionais

O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas vai abrir concurso para recrutamento de 50 pessoas para “a carreira e categoria de assistente operacional, em regime de contrato de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado”.

No aviso publicado esta sexta-feira em Diário da República, o instituto presidido por Nuno Banza explica que quer contratar 50 assistentes operacionais para desenvolver actividades como gestão de combustíveis, acções de silvicultura, acompanhamento na realização de fogos controlados, realização de queimadas e pela manutenção e beneficiação da rede divisional e de faixas e mosaicos de gestão de combustíveis.

Outras funções passam pela “sensibilização do público para as normas de conduta em matéria de natureza fitossanitária, de prevenção, do uso do fogo e da limpeza das florestas” e “vigilância das áreas a que se encontra adstrito”.

A estes assistentes operacionais caberá ainda a “primeira intervenção em incêndios florestais, de combate e subsequentes operações de rescaldo e vigilância pós-incêndio”, desde que estejam integrados no “Dispositivo Integrado de Prevenção Estrutural (DIPE), e previsto em directiva operacional aprovada pela Comissão Nacional de Protecção Civil”.

Terão igualmente como função a “protecção a pessoas e bens prevista em directiva operacional aprovada pela Comissão Nacional de Protecção Civil”.

O lançamento do concurso obteve parecer favorável do secretário de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território em Janeiro e foi autorizada pelo Ministério das Finanças e pelo Secretário de Estado da Administração Pública este mês.

Poderão candidatar-se trabalhadores com contrato de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado, por tempo determinado ou determinável ou sem constituição prévia de relação jurídica de emprego público.

O período de recepção de candidaturas é de dez dias úteis contados a partir do dia seguinte ao da publicação na Bolsa de Emprego Público.

Fonte: Público