As preocupações com a saúde pública levaram o Ministério do Ambiente a emitir um conjunto de orientações que visam garantir a proteção da população e dos trabalhadores e prevenir a disseminação da doença, compatibilizando-a com a necessidade de uma gestão eficaz e eficiente dos resíduos.

O aumento de casos de infeção por COVID-19 em contextos e ambientes variados, e a necessidade de controlar os fatores de risco associados à gestão de resíduos quando do tratamento de doentes no domicílio, conduziram às seguintes recomendações:

1) No caso de estar perante um caso suspeito, ou confirmado, de infecção por COVID-19 em tratamento no domicílio, os seus resíduos também podem estar infectados. Nestes casos:

  • Os resíduos produzidos devem ser colocados em sacos de lixo resistentes e descartáveis, com enchimento até 2/3 (dois terços) da sua capacidade – não encher totalmente os sacos;
  • Os sacos devidamente fechados devem ser colocados dentro de um segundo saco, devidamente fechado, e este deve ser depositado no contentor de resíduos indiferenciados (contentor de lixo comum).
  • Os sacos devem ser sempre colocados dentro do contentor – não deixe o saco no chão. Se estiver cheio, coloque no contentor mais próximo ou utilize quando estiver disponível.

2) Também máscaras, luvas e lenços de papel devem ser colocados no contentor do lixo comum.

Mais informação em disponível em:
http://www.egf.pt/pt/media/notícias/covid-19-gestao-de-residuos
http://www.ersar.pt/pt/site-comunicacao/site-noticias/documents/orientacoes_apa_ersar_covid_v20200324.pdf

Fonte: CAP