Olival & Azeite

“Vender sustentabilidade e alta qualidade ao consumidor que valoriza estas virtudes”

O projeto Egitânia Azeite é dinamizado pela empresa Real Idanha, instalada em Idanha-a-Velha desde 2007, muito antes da estratégia Green Valley entretanto desenvolvida pelo Município, mas com a qual está em perfeita sintonia.

Os primeiros sete anos da empresa foram dedicados à produção de hortícolas e morangos biológicos, enquanto, paralelamente, os seus mentores foram descobrindo a paixão pelo azeite regional. Em 2014 a estratégia empresarial inverteu-se radicalmente, optando-se por abordar o olival tradicional de sequeiro da Beira Baixa como o principal setor de atividade, enobrecendo o azeite regional e tornando-o num produto de alta qualidade e valor acrescido.

Em nome da Real Idanha, Tiago Lourenço recorda-nos ter sido o contexto histórico e paisagístico da região que primeiro captou a atenção dos fundadores da empresa e gosta de considerar que a Real Idanha é embaixadora “naquilo que se trata de representar azeite biológico na região”. E acrescenta “é uma missão que assumimos e orgulhamo-nos de poder representar o território e igualmente desenvolvê-lo numa lógica de revitalização geral do olival do concelho”. A ideia é cativar outras empresas e trabalhar como iniciativa privada mas com uma mentalidade regional. “Gradualmente, pretendemos valorizar ao máximo (financeiramente) a produção de cada produtor que se identifique com os nossos princípios de qualidade e sustentabilidade, incentivando-os a manter os seus olivais produtivos e convertidos ao Modo de Produção Biológico”. Ainda sobre a estratégia Green Valley, Tiago Lourenço sente-se aí enquadrado pela forma como se vê representado pelo Município em todas as feiras e eventos onde os produtos são coletivamente promovidos, criando a possibilidade de chegar a mercados e experiências, de outra forma mais inacessíveis.

A partir das variedades da região é produzido o azeite depois comercializado sob a marca ‘Egitânia’

De salientar ainda a existência de um lagar em Proença-a-Velha especializado na produção de azeite biológico de qualidade, impulsionado pelo Município e pela associação Proençal, em conjunto com os produtores locais. A partir das variedades da região, ‘Galega da Beira Baixa’, ‘Bical’ e ‘Cordovil’ é produzido o azeite depois comercializado sob a marca ‘Egitânia’. O produto tem tido uma crescente recetividade por parte do mercado, sendo que a estratégia da empresa passa “por vender sustentabilidade e alta qualidade a um consumir que valoriza estas virtudes. Falo de poder direto, de dar poder de escolha no ato da compra. A responsabilidade ambiental é em primeira instância uma escolha do consumidor e nós escolhemos trabalhar com consumidores responsáveis”.

Em termos empresariais, depois de várias experiências a Real Idanha vai dar início a uma terceira forma de trabalhar e que passa pela compra da azeitona a produtores que se enquadrem no mesmo rigor técnico e princípios de sustentabilidade, sempre que a sua produção não seja suficiente para as necessidades. Futuramente o projeto da empresa passa pelo desenvolvimento do oleoturismo. “Queremos partilhar o património e paixão que a cultura do azeite nos inspira com os nossos clientes e visitantes do concelho”.

Desenvolvimento deste e de outros artigos, na edição impressa da Revista Voz do Campo.