Opinião

BASF

“A necessidade de se manter a eficácia dos produtos

José Saramago – BASF

“No ciclo vegetativo da cultura da amêndoa há outros pontos fulcrais como são a desfoliação, pós-colheita e repouso vegetativo e períodos críticos como as florações e vingamentos em que é necessário intervir. É importante recordar que está a verificar-se uma redução substancial do número de matérias ativas que estão à disposição dos agricultores, com todas as implicações dessa situação, nomeadamente pragas e doenças que não eram problemas e que começam novamente a ser. E quando se pensa numa doença é necessário pensar em aspetos que vão desde o hospedeiro, à sensibilidade das variedades, ao tipo de agricultura que se faz (mais intensivo ou tradicional), entre outros.

No caso do amendoal moderno, em que existe intensificação cultural, começam a surgir doenças que não eram habituais. Já em relação aos produtos, quando são eficazes, há uma tendência natural para se repetirem tratamentos, o que provoca mutações na natureza, algumas vantajosas, outras não. Também temos de ter algum cuidado porque na grande maioria das vezes os produtos falham não porque há resistência mas porque não se realizou o tratamento atempadamente ou o volume não era o indicado, tal como as condições de aplicação, entre um conjunto de causas responsáveis pela falha”.