Cereais Empresas & Produtos

Como respondem as variedades GREEN + aos grandes desafios nas explorações em relação à produção e conservação do milho silagem

Desde há dois anos as equipas da MAS Seeds analisaram mais de 500 silos de milho ensilado em 10 países da Europa.

Estes diagnósticos revelaram os três principais problemas dos agricultores na produção e conservação do milho silagem: colher o milho na fase adequada num contexto de aquecimento global, conservar a quantidade e qualidade da silagem no silo e valorizar o amido no rúmen. Baseando-se nesta observação, as equipas de investigação e desenvolvimento da MAS Seeds criaram especialmente a gama de variedades de milho para silagem GREEN+.

1º DESAFIO: COLHER MILHO SILAGEM NA FASE ADEQUADA

Fonte: MAS Seeds. Média de 510 diagnósticos de silo realizados pelas equipas MAS Seeds entre 2017 e 2018

RESPOSTA DAS VARIEDADES GREEN+ A ESTE DESAFIO

  • Os híbridos GREEN+ selecionam-se pelo seu stay-green. O stay-green é a capacidade genética de um híbrido para se comportar bem em condições quentes e secas, permanecendo verde até à fase de colheita.
  • Uma evolução mais lenta da matéria seca permite alargar o prazo de colheita de 5 a 10 dias dependendo das condições meteorológicas.
  • Os híbridos GREEN+ trazem mais flexibilidade aos agricultores para colher o milho para silagem na fase adequada.

CONCLUSÕES EXTRAÍDAS DAS ANÁLISES DE SILO

  • Colher entre 32 e 35% de matéria seca, o melhor compromisso entre rendimento, valor alimentar e conservação.
  • Colher muito cedo limita o rendimento e o valor energético da silagem.
  • Uma colheita tardia confere um aumento de rendimento de MS/ ha, mas também uma mudança na composição química do milho: o nível de amido aumenta, mas ao mesmo tempo os açúcares solúveis, a digestibilidade das fibras e o nível de proteína diminuem. Por outro lado, a compactação do silo e a conservação são mais difíceis porque a silagem está mais seca.
  • As análises de silagem realizadas pelas equipas da MAS Seeds entre 2017 e 2018 indicam que só 40% das explorações conseguem colher entre 32 e 35% de matéria seca.

Resiliência das variedades Green+ frente à testemunha

Fonte: MAS Seeds.
Ensaios Nutriplus I+D
2016-2017-2018


2º DESAFIO: CONSERVAR A QUANTIDADE E A QUALIDADE DA FORRAGEM NO SILO

CONCLUSÕES EXTRAÍDAS DAS ANÁLISES DE SILO

  • A temperatura na frente do silo é um primeiro indicador da sua estabilidade aeróbica e da sua qualidade de conservação.
  • O aquecimento do silo é a consequência direta de uma importante quantidade de ar no silo. A presença de ar reativa as fermentações aeróbicas (levaduras e fungos), que se produzem pelo calor. Este aumento da temperatura indica perdas de silagem em quantidade e qualidade.
  • Uma boa compactação do silo permite eliminar o máximo de oxigénio para um início de fermentação rápida e uma melhor conservação.
  • As análises de silagem realizadas pelas equipas MAS Seeds entre 2017 e 2018 indicam que 50% dos silos têm um ponto de aquecimento.

Aumento da temperatura nos silos

Fonte: MAS Seeds. Média de 510 análises de silagem realizadas pelas equipas MAS Seeds entre 2017 e 2018

COMO RESPONDEM AS VARIEDADES A ESTE DESAFIO ?

  • Os híbridos GREEN+ têm uma elevada taxa de açúcares solúveis que alimentam as bactérias lácticas no ínicio da fermentação. Por outro lado, as partes verdes consomem mais rapidamente o oxigénio no silo.
  • Os híbridos GREEN+ permitem um arranque da fermentação e uma baixa mais rápida do pH depois do encerramento do silo.
  • Os híbridos GREEN+ limitam as perdas de silagem e melhoram a conservação da forragem.

Qualidade da conservação da silagem Ensaios em mini-silos – Peso nos 6 meses de armazenamento

Fonte: MAS Seeds. Ensaios Nutriplus I+D 2016-2017-2018


3º DESAFIO: VALORIZAR O AMIDO NO RÚMEN DA VACA

Qualidade do grão partido nos silos analisados

Fonte : MAS Seeds. Média de 510 análises silagem realizados pelas equipas comerciais entre 2017 e 2018

COMO RESPONDEM AS VARIEDADES GREEN+ A ESTE DESAFIO?

  • O teor de amido nos grãos das variedades GREEN+ têm uma evolução mais lenta entre 30 e 35% de matéria seca.
  • Os grãos estão menos vítreos à colheita e mais fáceis de partir. O amido é mais rapidamente degradado no silo.
  • O amido das variedades GREEN+ é mais facilmente degradado para uma melhor valorização no rúmen.

CONCLUSÕES EXTRAÍDAS DAS ANÁLISES DE SILO

  • A degradibilidade do teor de amido da forragem está intimamente ligado aos grãos partidos.
  • O teor de amido dos grãos mal partidos não se valoriza no rúmen da vaca, sobretudo se os grãos estão vítreos no momento da colheita.
  • Comprova-se também que em caso de colheitas tardias os grãos são mais vítreos para a maioria das variedades. O amido vítreo, que é mais duro, é menos degradável pelas bactérias ruminais e, portanto, menos digestível.
  • As análises realizadas pelas equipas MAS Seeds entre 2017 e 2018 indicam que em 50% dos silos os grãos não se quebraram o suficiente.

% Degradibilidade do amido

Ensaios em mini-silos. Valores à colheita


O rendimento e a rentabilidade das explorações leiteiras passam obrigatoriamente por uma boa qualidade das forragens, independentemente das condições climáticas do ano. Por este motivo, as equipas da MAS Seeds trabalham há 15 anos no desenvolvimento de uma genética com melhor tolerância à seca e a condições mais quentes durante o verão, assim como os serviços profissionais que apoiam os agricultores durante toda a cultura e na conservação da forragem.

Desenvolvimento deste e de outros artigos, na edição impressa da Revista Voz do Campo, edição de maio 2020.