Opinião

Cantinho das Aromáticas

Uma das culturas mais complexas e fascinantes, mesmo para um agrónomo enciclopédico, é a da figueira (Ficus sp.) e das suas centenas de espécies.

Luís Alves, Agrónomo – Agricultor – Viveirista

“Botanicamente o figo não é um fruto, mas sim uma infrutescência que possui múltiplos frutos quando as flores são fecundadas devido à ação de um agente polinizador. Existem figueiras baforeiras (servem como polinizadoras, os frutos não são comestíveis) e figueiras domésticas.Quanto ao seu desenvolvimento fisiológico, temos os figos lampos, que se desenvolvem no ano anterior e são sempre partenocárpicos, ou seja, não precisam de um agente polinizador nem de nenhum processo reprodutivo para que se forme o fruto.

Temos também os figos vindimos, que surgem inseridos nos ramos do ano, na axila das folhas e podem ou não ser partenocárpicos. Caso não o sejam, é essencial a polinização, que ocorre graças a uma relação simbiótica, estabelecida com uma pequenina vespa, que dura há milhares de anos e se designa por caprificação.

Vale muito a pena passar horas a aprender mais sobre esta fascinante e deliciosa cultura, que em Portugal merecia ter muito mais área cultivada e agricultores profissionais dedicados”.