Hortofruticultura Sanidade vegetal

Traça da Batateira

A traça ataca os órgãos aéreos da batateira no campo, sucedendo-se as gerações até à colheita.

Para os prejuízos contribuem não só os estragos diretos que as larvas fazem ao abrir as galerias nos tubérculos, como os fungos que aí se desenvolvem, causando o apodrecimento da batata.

Para reduzir o ataque da traça recomendamos as seguintes MEDIDAS PREVENTIVAS:

  • Manter o terreno e as imediações livres de restos de cultura e de ervas infestantes.
  • Proceder à amontoa o mais cedo possível, chegando a terra para junto do pé das plantas, de modo a impedir as larvas de entrarem através de fendas no solo e as borboletas de porem os ovos nas batatas a descoberto.
  • Mesmo com uma amontoa bem feita, a terra pode abrir fendas. Nesse caso, uma rega, mantendo a terra húmida e as batatas cobertas, dificulta a postura dos ovos e a progressão das larvas.
  • Não manter os tubérculos na terra por tempo desnecessário. Logo que as batatas estejam prontas, devem ser colhidas.

Durante a colheita:
  • As batatas colhidas devem ser de imediato retiradas do campo e armazenadas – nunca deixar as batatas no campo de um dia para o outro e nunca as cobrir com a rama das batateiras.
Locais de armazenamento: 
  • Limpar cuidadosamente os locais de armazenamento das batatas, retirando todos os restos que aí possam ter ficado da anterior colheita.
  • Desinfetar as instalações de armazenamento, por exemplo, queimando enxofre, depois de ter calafetado bem todos os orifícios e fendas e deixando-as fechadas 24 horas. De seguida, abrir e arejar, tendo o cuidado de instalar, em portas e janelas, redes finas que impeçam a entrada das borboletas da traça.
  • As batatas atacadas de traça devem ser retiradas durante o armazenamento, de modo a não contaminarem as sãs.
  • Em caso de suspeita de ataque de traça, as batatas podem ser polvilhadas, no armazém, com inseticidas em pó indicados para este fim.