Agropecuária Evento realizado Inovação Tecnologia

Webinar de encerramento do Projeto CFD4CHEESE, liderado pelo IPBeja, apresenta resultados alcançados

Desenvolvimento tecnológico e inovação nos Queijos DOP – Nova câmara de cura com app para telemóvel para apoiar os produtores

Webinar de encerramento do Projeto CFD4CHEESE, liderado pelo IPBeja, apresenta resultados alcançados

Com o objetivo de ajudar a melhorar a qualidade dos queijos DOP, e a criar maior valor agregado no produto final, valorizando um produto artesanal com profundas raízes históricas, parte integrante do patrimônio alentejano, um grupo de investigadores nacionais, liderados pelo Instituto Politécnico de Beja, e provenientes das instituições parceiras Instituto Politécnico de Portalegre, Instituto Politécnico de Setúbal, FCT – Universidade Nova de Lisboa e CEBAL – Centro de Biotecnologia Agrícola e Agro-Alimentar do Alentejo, desenvolveram durante dois anos o projeto “CFD4CHEESE – Aplicação da mecânica dos fluídos computacional na otimização das condições de cura de queijos tradicionais”, que culminou no desenvolvimento de uma nova câmara de cura de queijo artesanal e de uma aplicação para telemóvel com informação sobre a viabilidade económico-financeira, de apoio aos produtores na decisão do investimento para a nova tecnologia.

No próximo dia 04 agosto de 2020, pelas 10h, através da plataforma Zoom e com transmissão em direto na página de Facebook do CFD4CHEESE, poderá conhecer em detalhe o trabalho que aplicou os conceitos da mecânica dos fluídos computacional no estudo dos principais parâmetros ambientais no interior da câmara ao longo do ciclo de cura, nomeadamente a temperatura, humidade, velocidade, amoníaco e dióxido de carbono e que revela que a nova câmara mantem as características dos queijos tradicionais, potenciando a quantidade de queijo com uso de certificação DOP, ao mesmo tempo que aumenta a eficiência energética diminuindo o impacto ambiental.

O projeto “CFD4CHEESE – Aplicação da mecânica dos fluídos computacional na otimização das condições de cura de queijos tradicionais” (Refª SAICT-POL/23356/2016; ALT202-03-0145-FEDER-023356) é financiado pelo FEDER através do Programa Operacional Regional de Lisboa e Programa Operacional Regional do Alentejo, e por fundos nacionais, através da Fundação para a Ciência e Tecnologia, na componente nacional.