Agropecuária Empresas & Produtos Hortofruticultura

A AgroGlobal possível

Não vai haver AgroGlobal nos moldes tradicionais mas a data vai ser assinalada de forma virtual. Não faltarão as habituais conferências e os ensaios não foram interrompidos, por isso, o início de setembro será marcado por novidades.

De dois em dois anos o mês de setembro é aguardado pelo setor agrícola nacional para uma das suas maiores manifestações – a AgroGlobal. Estava tudo programado para que em 2020 o setor voltasse a reunir-se mas a pandemia por Covid 19 veio alterar todos os planos. A decisão da não realização da iniciativa foi adiada até ao limite, mas, como diz o ditado, o “que não nos mata torna-nos mais fortes” e como tal a equipa que organiza o evento, liderada por Joaquim Pedro Torres, arregaçou mangas e quer dar o seu contributo para que a AgroGlobal mantenha a sua essência de gerar valor e estimular para a criação de novidades. “Passou o tempo de falar em resistência. É hora de voltar a olhar o futuro, de novos projetos e de novas soluções”.

Consciente de que numa feira virtual não é possível criarem-se as mesmas sinergias nem o mesmo valor de quando as pessoas se cruzam, falam e fazem negócios, neste momento é a solução possível e está a ser preparada para acontecer na data do evento – 9 a 11 de setembro e sob vários ângulos.

A equipa que organiza o evento, liderada por Joaquim Pedro Torres, arregaçou mangas e quer dar o seu contributo para que a AgroGlobal mantenha a sua essência de gerar valor e estimular para a criação de novidades.

Para já Pedro Torres avança à nossa reportagem que haverá a possibilidade de os expositores habituais do evento selecionarem e apresentarem os conteúdos que era suposto exporem no formato tradicional, incluindo os ensaios, e fazerem-no numa planta virtual que está no site da AgroGlobal e em simultâneo nas redes sociais dos media partners.

As várias conferências que acontecem por norma ao longo da programação da AgroGlobal são sempre bastante fortes motivos de interesse, pelo que também vão realizar-se, no local (painel de oradores), praticamente sem público e transmitidas em live streaming. Ainda não está tudo fechado mas é certo que temas como a visão estratégica para a agricultura, Reforma da PAC ou a floresta, a agricultura de precisão, as novas plantações, não ficarão de fora.

Ao mesmo tempo mostrar-se-ão algumas imagens do que está a passar-se nos campos conforme estava programado por parte das empresas que têm ensaios a decorrer. Esta tem sido aliás uma das imagens de marca da Feira, demonstrativa da evolução contínua das empresas do setor agrícola, seja por exemplo ao nível da biotecnologia, quando todos os anos há sementes com maiores potencialidades ou dos agroquímicos, com moléculas mais seguras e mais eficientes, máquinas e equipamentos sofisticados que conseguem fazer os trabalhos de forma mais precisa e eficiente.

Incentivada pelas empresas e com vontade de mostrar resultados, a edição física da AgroGlobal foi adiada de 6 a 8 de julho de 2021.

Em termos gerais, e porque também é um dos agricultores de referência no nosso país, Pedro Torres é da opinião que hoje é mais claro o que temos de fazer na agricultura do nosso país. “O êxito que algumas soluções tiveram, nomeadamente Alqueva, com uma utilização e um aproveitamento em tempo recorde e uma enorme dinâmica de investimento, mostra-nos que é um dos caminhos a seguir se queremos uma agricultura competitiva e claro com a água a representar um fator fundamental”.



Artigo relacionado:

AgroGlobal, nós semeamos !