Na primeira pessoa

” Especialmente em S. Miguel, os produtores não têm o espírito de cooperativismo e de associativismo “

Manuel Martins Ledo, presidente da direção da Terra Verde – Associação de Produtores Agrícolas dos Açores

“Este, infelizmente é um ano atípico, em que os produtores regionais, à semelhança do que acontece a nível nacional, estão com dificuldade em comercializar produtos como batata, batata-doce, cenoura, entre outras hortícolas que continuam no campo e o mercado não tem capacidade de absorver.

No entanto, entendemos que uma evolução realmente positiva no setor agrícola terá de passar, inevitavelmente, por uma organização dos produtores e da produção, com uma estratégia conjunta que salvaguarde os interesses de todos, um desafio que será difícil de concretizar no curto prazo por questões de mentalidade.

Especialmente em S. Miguel, os produtores não têm o espírito de cooperativismo e de associativismo o que faz com que uma evolução no setor demore mais tempo em comparação com outras regiões do País. Na sua maioria, os produtores dominam todo o processo, desde a produção à distribuição e/ou comercialização ao consumidor final, nestes casos é ainda mais difícil mudar mentalidades. A obrigatoriedade de entregar toda a produção numa Organização de Produtores é um requisito que de alguma forma parece assustar os produtores dos Açores, talvez resultante de casos de insucesso no passado.”


Artigo relacionado:

“Sem saber, há muito que a Terra Verde dotava os agricultores de ferramentas para fazer face à situação que vivemos atualmente”