Na primeira pessoa

” Toda esta estrutura tem sido acompanhada de evolução tecnológica “

Tiago Serralheiro, responsável ligado à produção do Pasto Alentejano

“Tem-se registado um grande crescimento nos últimos anos. Se em 2015 a capacidade era para 10 mil ovinos, hoje o efetivo constante é de 40 mil borregos. Mas foi necessário criar condições para isso, nomeadamente com o aumento da área coberta e uma aposta no bem-estar animal na exploração. Além disso, toda esta estrutura tem sido acompanhada de evolução tecnológica.

O escoamento dos animais é efetuado através do matadouro e segue para toda Europa, mas também já com bastante expressividade para alguns países árabes. Em Portugal trabalhamos com a grande distribuição e com talhos.

Esta diversificação de mercados tem sido uma estratégia vencedora, bem refletida no momento que vivemos pois, apesar de todas as contingências, foi possível dar resposta aos produtores e escoar toda a produção.”


Artigo relacionado:

A internacionalização foi uma boa aposta