Política Agrícola

CNA leva voz da Agricultura Familiar ao Plenário do Conselho Económico e Social

Ao participar no Plenário do Conselho Económico e Social (CES), que se realizou a 22 de setembro na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, a CNA levantou questões essenciais ao desenvolvimento da Agricultura Familiar, do Mundo Rural e da economia nacional.

Num encontro que teve na agenda a apresentação e discussão da Visão Estratégica para o Plano de Recuperação Económica de Portugal 2020-2030, com a presença do Primeiro Ministro, o dirigente da CNA, Pedro Santos, salientou a necessidade e importância da urgente concretização do Estatuto da Agricultura Familiar (EAF).

O EAF, que está ausente da Visão Estratégica, se efectivamente implementado com medidas concretas será determinante para a melhoria dos rendimentos dos pequenos e médios agricultores familiares, para a garantia de uma alimentação de qualidade e de proximidade para a população e para a Soberania Alimentar do país.

No contexto da melhoria das condições de vida e de trabalho dos agricultores familiares, é fundamental garantir preços justos à produção agrícola familiar, incluindo para a produção florestal. O dirigente da CNA frisou no Plenário do CES que os preços da madeira na produção permanecem em baixa continuada, o que dificulta uma gestão activa da floresta por parte dos pequenos e médios proprietários e produtores florestais.

Pedro Santos é membro efectivo do Plenário do CES em representação da CNA, no grupo de interesse “Agricultura Familiar e Mundo Rural”, espaço de debate que a Confederação considera essencial e onde pode dar voz ao Mundo Rural e aos muitos milhares de agricultoras e agricultores familiares que representa em Portugal.