Bio Fertilização Hortofruticultura

Hortelã-pimenta no modo de produção biológico

O efeito da correção orgânica e da fertirrigação na cultura de hortelã-pimenta (Mentha x piperita) foi avaliado através de um ensaio experimental de vasos e um ensaio experimental de campo, com o objetivo de contribuir para a melhoria das recomendações de fertilização para esta cultura, no modo de produção biológico (MPB).

O ensaio de vasos foi conduzido com 5 blocos casualizados e 12 tratamentos resultantes da estrutura fatorial de 3 fatores: (i) tipo de solo, um (solo P) com baixo teor de matéria orgânica (MO) e outro (solo M) com teor médio em MO; (ii) aplicação de corretivo orgânico nas doses de 0 e 100 g planta-1; e (iii) fertirrigação nas doses de 0, 0,1 e 0,5 ml planta-1. O ensaio de campo foi conduzido com 4 blocos casualizados e 3 tratamentos, correspondentes à aplicação de fertirrigação nas doses de 0, 0,1 e 0,5 ml planta-1 .

No ensaio de vasos, na primavera, aproximadamente 250 dias após a plantação, verificouse um rápido aumento da altura, do número de folhas e do número de caules da hortelãpimenta. No entanto, esses aumentos só foram significativos entre os dois tipos de solo (P e M), enquanto os aumentos de produtividade com o compostado e com o fertilizante utilizado na fertirrigação não foram significativos. Estes parâmetros de crescimento refletiram-se no peso das plantas que também só aumentou significativamente com o tipo de solo. No ensaio de campo, a fertirrigação também não aumentou significativamente a produtividade desta cultura.

Apesar da importância das práticas de fertilização para o aumento da produção vegetal, nesta experiência, a fertilidade inicial do solo, ao contrário dos fertilizantes, revelou-se determinante para aumentar a produção da hortelã-pimenta, reforçando os princípios do MPB que colocam grande ênfase na necessidade de elevar o teor de MO do solo para se obterem culturas com uma elevada produtividade.

Consulte a dissertação completa.