Agropecuária EMPRESAS & PRODUTOS Reportagem

“Para vingar na produção de leite, temos de ser cada vez mais profissionais”

A principal atividade desenvolvida na Formigaleite, Lda. é a produção de leite, com Lourenço Rocha a representar já a quinta geração de agricultores da família.

FORMIGALEITE, LDA. RESPONSÁVEL: Lourenço Rocha

LOCALIZAÇÃO: União das Freguesias de Ovar, São João, Arada e São Vicente de Pereira Jusã (Ovar)

COLABORADORES: Dois sócios e um funcionário

SETOR DE ATIVIDADE: Produção de leite

EFETIVO: Uma média de 130 a 150 vacas em produção, que se traduz anualmente na casa de um milhão e 600 mil litros de leite

No ano 2000 Lourenço Rocha passou a estar mais afincadamente na exploração e entretanto, através de uma candidatura ao PRODER, avançou com algumas obras, resultando na construção de uma vacaria de raiz, com instalação de robôs de ordenha, sistema automático de limpeza, alimentadora de vitelos (…), toda devidamente estruturada que em 2015 lhe valeu o prémio de jovem agricultor no âmbito do Prémio Nacional de Agricultura.

O leite (cru) é vendido na sua quase totalidade para a Cooperativa Agrícola De Produtores de Leite – Proleite. Além da tradição familiar, Lourenço Rocha afinou também o gosto pessoal por esta atividade, reconhecendo que o principal requisito para uma boa produção de leite é o maneio dos animais, que requerem uma presença constante, embora a exploração seja robotizada, e depois o trabalho de melhoramento genético. É desta forma que justifica o aumento nos últimos anos entre três mil e três mil e quinhentos litros de leite, em média, por lactação.

O apoio veterinário também é assegurado pela Cooperativa que, de acordo com o entrevistado, presta um bom serviço aos agricultores, tanto ao nível médico como nutricional.

“Estão a verificar-se algumas desistências de produtores de leite da região”

Analisando o setor de uma forma mais genérica, Lourenço Rocha admite que estão a verificar-se algumas desistências de produtores de leite da região, por vários motivos, e em reflexo disso, as vacarias da região estão a desenvolver novas parcerias para produção de forragens e tornar as explorações menos dependente do exterior (…).