Evento realizado Inovação Investigação

ANI e FCT promoveram o 1º Econtro Anual de Laboratórios Colaborativos

Nos passados dias 16 e 17 de outubro, decorreu, na Fundação Cupertino de Miranda, no Porto, o 1º Encontro Anual de Laboratórios Colaborativos (CoLAB). A sessão juntou 26 Laboratórios Colaborativos com o objetivo de promover e monitorizar a sua evolução progressiva, assim como a sua integração em Portugal e na Europa.

Esta iniciativa, organizada pela Agência Nacional de Inovação (ANI) e pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), foi presidida pelo Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, e contou com a participação ativa de cerca de treze peritos internacionais dedicados a diferentes áreas setoriais que têm acompanhado os trabalhos desenvolvidos pelos CoLAB desde a sua constituição: Nicholas Veck, Reino Unido; Wolfgang Wahlster, Alemanha; Julián Florez Esnal, Espanha; Egbert-Jan Sol, Holanda; Hélène Kirchner, França; Kees de Gooijer, Países Baixos; Joachim Tretzel, Países Baixos; Konrad Mussenbrock, Alemanha; Mark Bucking, Alemanha; Thuy Le Toan, França; Bernd Hillemeier, Alemanha e Hans Werner Eirich, Alemanha.

Tendo em conta o contexto de pandemia provocado pela COVID-19 e as medidas da Direção Geral da Saúde, a sessão realizou-se em formato híbrido (presencial e online) e foi transmitida via live streaming.

Coube ao Presidente da ANI, Eduardo Maldonado, dar as boas vindas aos participantes, tendo a abertura sido assegurada pelo Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, e pela Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa. O Secretário de Estado Adjunto da Economia, João Neves, a Presidente da Fundação da Ciência e Tecnologia, Helena Pereira, e Secretária de Estado da Valorização do Interior, Isabel Ferreira, completam o rol de presenças institucionais que marcaram presença no evento.

O início dos trabalhos ficou a cargo do Coordenador do Painel Internacional de Peritos, José Luís Encarnação, que deu mote às apresentações dos Laboratórios Colaborativos, organizados por áreas temáticas: Saúde e Serviços Sociais; Materiais, Economia Circular e Sustentabilidade Urbana; Agricultura; Energia e Sustentabilidade; Biodiversidade e Floresta; Sistemas Digitais e de Informação; Clima, Espaço e Oceanos.

Cada CoLAB teve cerca de 5 minutos para o apresentar o seu pitch e cerca de 10 minutos para responder a um conjunto de questões. A sessão decorreu com uma destacada intervenção e participação dos peritos, que fomentaram uma discussão alargada e de enorme relevância para a implementação e estratégia de cada um destes CoLAB.

Eduardo Maldonado destacou a importância deste evento enquanto marco de uma etapa importante para o futuro dos CoLAB, reforçando que “os resultados e conclusões foram excelentes e devemos estar orgulhosos coletivamente” e acrescentado que a ANI “continuará a trabalhar próxima dos Laboratórios Colaborativos implementando novas dinâmicas e estratégias”. Na sessão de encerramento, Manuel Heitor salientou a importância de cada CoLAB, sobretudo em áreas setoriais cruciais e economicamente fundamentais, reiterando que “os Laboratórios Colaborativos vêm preencher um espaço importante no Sistema de Nacional de Inovação Português”.

Esta 1.ª edição do Encontro Anual de CoLABS pretendeu aprofundar a monitorização das atividades dos laboratórios colaborativos e o seu desenvolvimento no contexto de estratégias de investigação e inovação regionais, nacionais e europeias, bem como fomentar o debate sobre o seu papel na dinâmica de inovação, criação de emprego e trabalho qualificado em Portugal. Os CoLAB já criaram mais de três centenas de postos de trabalho altamente qualificados em Portugal, nomeadamente no interior do país, estando, por isso, bem posicionados para cumprir o objetivo de promover 563 novos postos de trabalho altamente qualificados até 2023. O trabalho desenvolvido por estas entidades tem igualmente resultado em casos de sucesso na transferência de conhecimento para a economia, com impactos na internacionalização e na incorporação de tecnologia no tecido empresarial.

A ANI é a entidade que acompanha a implementação da agenda de investigação e inovação de todos os CoLAB. O processo de reconhecimento dos Laboratórios Colaborativos é assegurado pela FCT.