Hortofruticultura

O Reerguer do Figo em Portugal e a Maçã de Alcobaça

O Reerguer do Figo em Portugal e a Maçã de Alcobaça: Os três melhores projetos da Academia 2020 do Centro de Frutologia Compal

Dia 12 de novembro o Centro de Frutologia Compal (CFC) realizou o Encontro em formato digital para projetar o futuro do setor agrícola e anunciar os 3 melhores projetos da Academia 2020

O Encontro contou com a participação do Prof. Francisco Avillez para abordar os desafios (e respostas) para a construção do futuro do setor agrícola nacional, passou em breve retrospetiva os últimos 8 anos do Centro de Frutologia Compal e as suas sete edições de Academia e anunciou os vencedores das Bolsas Academia 2020. Após 10 semanas, e 80 horas de formação em várias áreas, com destaque no módulo “Mentoria Digital” para Fundamentos Básicos em Digital, Sistemas Operativos para a Gestão Agrícola, Mercados Digitais, Logística Aplicada a Negócios no Digital e Marketing Digital, o júri decidiu quais os três projetos vencedores deste ano, que irão receber 60.000€ em Bolsas de Instalação.

Num ano particularmente exigente em que não houve a habitual deslocação as explorações de norte a sul do país, todos os 12 formandos estão de parabéns e certamente, estarão mais aptos e com maior nível de conhecimento para desenvolver os seus negócios.

Os vencedores são: Gonçalo Madeira, Luís Carcau e Sandra Silva.   

  • Gonçalo Madeira, jovem de 22 anos, da região de Alcobaça e produtor de maçã. A Celfruta é o seu negócio, que deriva de um projeto familiar, pois desde há muito que a paixão pela maçã faz parte da família; componentes como a boa preparação do terreno, a aquisição de tecnologia de rega e eficiência energética sustentável, a tecnologia de última geração integrada, a presença em processos de certificação como o Global Gap, deram-lhe a confiança de ser um dos projetos vencedores, assente nas bases da sustentabilidade, biodiversidade e tecnologia, seguindo uma atividade frutícola segura e sustentável.
  • Luís Carcau, jovem de 24 anos, natural de Mirandela, produtor de figo que acredita no seu potencial, apesar de não ser uma fruta com muita atenção em Portugal. Em busca constante de novo conhecimento na área e procura um futuro coletivo, mais sustentável e inclusivo; com experiência na produção de figo, e com um projeto muito bem montado e apresentado, ofereceu-lhe a confiança de se tornar um dos vencedores. O seu projeto é baseado em componentes chave de sucesso: sustentabilidade, sustentabilidade económica e sustentabilidade social para a região, com boas propostas de condições de vida melhoradas para os seus colaboradores, algo que para si é fundamental.
  • Sandra Silva, empresária e gestora de 49 anos. É de Lisboa mas a sua exploração encontra-se em Torres Novas, região com excelentes condições para a produção mas que ficou esquecida no tempo. O seu projeto terá o nome de “Fazenda das Courelas”, sendo o seu sonho, um dia, vir-se a dedicar ao Figo a tempo inteiro. Acredita que o Figo tem potencial que deve ser retomado em Portugal. Virada para a internacionalização e produção em fresco, pretende-se instalar com tecnologia que respeita a biodiversidade, sustentabilidade e tem foco na comercialização internacional.

O ano de 2020, tem sido um ano diferente e de adaptação para todos, e a Academia do Centro de Frutologia Compal não foi exceção, tendo se apresentado pela primeira vez integralmente no formato digital. Um ano que foi encarado como uma oportunidade para reforçar as competências dos participantes para a transformação digital do negócio agrícola. Um ano que aproveitou igualmente a oportunidade para estender a participação na formação a todos os Alumni dos anos anteriores.