Agrociência Vinha & Vinho

A vitis vinifera e as suas potencialidades

Vitis vinífera: folhas e frutos

O paradigma atual, cada vez mais, apela a um reposicionamento globalizado e sinérgico, ampliando o foco de ação perante estratégias de melhoramento na gestão do potencial das culturas, num sistema ecológico, não só económico, mas principalmente, e necessariamente, biológico, sustentável, que articule diferentes setores numa demanda individual, especifica a cada um, num sentido coletivo.

Os programas de desenvolvimento e inovação, como o contributo académico-científico acrescem à componente técnica criatividade, nas mais variadas indústrias que pretendem inovar, reinventando ou criando novos produtos e/ou potenciais, em fileiras de mercados muito competitivos que se entrecruzam.

Em Portugal, o setor vitivinícola apresenta um papel de grande importância económico-social e cultural, com expresso crescimento, cerca de 192 743 hectares de área total de vinha (IVV, 2019).

As condições edafoclimáticas favorecem as produções, mobilizando setores paralelos, que se estendem além das produções de uva e vinho, colocando a economia circular num lugar central que assume extrema relevância e preponderância como agente facilitador de fontes de matéria-prima ou para construção da mesma, de um modo acessível e económico; inovação; preservação ambiental e impacto ecológico.

O dinamismo do setor alimentar e os subprodutos resultantes da carga residual, estimando-se, em média, por cada 100 litros de vinho produzidos, cerca de 31,7 kg de resíduos nos vinhos brancos e cerca de 25 kg de resíduos nos vinhos tintos, constituídos por grainhas de uva, engaço, folhas e bagaço (…).

Leia o artigo completo na edição de dezembro 2020.

Autoria: Lorena, A. 1 & Cordeiro, A.I.2

. 1 Naturopata

. 2 Departamento de Ciências Agrárias e Veterinárias. Instituto Politécnico de Portalegre.