Agropecuária Ambiente EMPRESAS & PRODUTOS Fertilização Internacional

Agricultor português premiado lança livro sobre Agricultura de Conservação

A obra “Herdade da Parreira- Sustentabilidade Económica e Ambiental – 1972-2020” é um legado para as gerações futuras de agricultores e produtores pecuários no sistema agro-silvo-pastoril do Montado e não só. Este livro narra o percurso de sustentabilidade, económica e ambiental da Herdade da Parreira, ao longo de 48 anos.

O modelo seguido, centrado na sustentabilidade ambiental, com especial enfoque no solo, assenta nas premissas da Agricultura de Conservação. Assim, em reconhecimento do trabalho desenvolvido em 2016, o autor Nuno Marques e o Professor Mário Carvalho que sempre acompanhou tecnicamente o desenvolvimento do modelo, venceram o “Land and Soil Award” da European Landowners’ Organization – ELO com os auspícios da Comissão Europeia.

Trata-se dum livro em que Nuno Marques partilha a sua experiência, descrevendo dificuldades, sucessos, apresentando números e resultados.

O Eng. Nuno Marques, agricultor vencedor de prémio internacional sobre gestão e conservação do solo, é o autor desta obra que retrata os 48 anos de história da Herdade da Parreira, em Montemor-o-Novo, onde a Agricultura de Conservação é praticada desde final da década de 80 com uma rentabilidade muito interessante e evidentes benefícios ambientais.

Nuno Marques é Engenheiro Agrónomo, licenciado pela Universidade de Évora, e proprietário da empresa Bovicer – Bovinos e Cereais, Lda, que produz 220 hectares de regadio de culturas forrageiras e cereais de Outono-Inverno, faz recria de bovinos de carne e gere uma área considerável de montado de sobro e azinho.

«Em 2020 olhamos para o solo como o motor da nossa indústria e para isso temos tentado melhorar a sua estrutura e aumentar o seu teor de matéria orgânica, de modo a que a sua eficiência no uso de fatores seja cada vez maior e as suas limitações cada vez menores», escreve o Eng. Nuno Marques.

O prefácio do livro é da autoria de Mário Carvalho, Professor Catedrático da Universidade de Évora, que refere: «O modelo em vigor nesta empresa agrícola tem que servir de inspiração à generalidade das empresas no Alentejo. A vocação do nosso território são os sistemas agro-silvo-pastoris, pois são as sinergias e complementaridade entre as três atividades que permitem sustentar o negócio face às condições existentes, particularmente de solo e clima».

Aceda AQUI à publicação.