Cereais EMPRESAS & PRODUTOS

Ponto determinante das variedades para silagem é o ‘Stay Green’ no momento da colheita

De acordo com o portefólio da Dekalb (marca de milhos híbridos propriedade da Bayer) para a produção de milho silagem os ciclos mais utilizados na região norte são na sua maioria os FAO500 e depois, mais ou menos de forma igualitária, os FAO600 e FAO400.

Para estes segmentos a Dekalb dispõe da variedade ‘DKC6181’ (ciclo 500), a ‘DKC6777’ (ciclo 600) e a ‘DKC5144’ (ciclo 400).

“Procuramos trabalhar com variedades que tenham rendimentos, oferecendo sanidade até ao momento da colheita assim como também com grande potencial de grão”, refere Sofia Oliveira, assessora da Dekalb para a região norte.

Para chegar a estes objetivos, a empresa tem investido numa rede de ensaios para obtenção de novas variedades, dispondo de novidades no segmento do 600 (DKC6492), 500 (DKC6308) e 300 (DKC4792).

O ponto determinante para a utilização de variedades no silo prende-se com o ‘Stay Green’ no momento da colheita e com a digestibilidade da fibra, em resumo na quantidade de qualidade da matéria seca a oferecer aos animais.

Para a próxima campanha os desafios passam pela utilização de Soluções Bayer integradas

À data desta reportagem a campanha estava prestes a terminar, percebendo-se que apesar de ter sido um ano exigente no controlo da rega, antevê-se mais rendimento e com qualidade. Para a próxima campanha os desafios que se colocam passam pela utilização de Soluções Bayer integradas, isto é, sementes, herbicidas e a plataforma digital Climate Field View.

As sementes (variedades) já foram referidas, pelo que Sofia Oliveira avança que em termos de herbicidas será possível contar com um pós-emergente precoce, ‘Monsoon ACTIVE’ que será uma boa solução para uma das principais infestantes da zona, vulgarmente conhecida como ‘junça’.

Já a Plataforma Climate Field View, a partir de imagens de satélite, gera informação útil para maximizar a rentabilidade de cada parcela, pelo seu sistema de monitorização e alertas. Por outras palavras, “transforma” os dados brutos recolhidos em cada campo em informação prática, que ajudará o agricultor a controlar e medir facilmente o impacto das suas decisões agronómicas no rendimento da cultura (…).