Formação máquinas e equipamentos

O trator agrícola e os diferentes tipos: caracterização geral (parte I)

Generalidades

O trator é uma máquina automóvel, que tem como principal função arrastar alfaias agrícolas (charruas de aivecas, charruas de discos, etc.), que, por sua vez, executam lavouras agrícolas, assumindo-se deste modo como um meio de facilitar e rentabilizar a atividade agrícola para quem a executa.

Os tratores podem auxiliar o agricultor no transporte de carga, quando lhes é atrelado um reboque, e em outras atividades, se acoplarmos atomizadores ou pulverizadores.

Estes equipamentos, a exemplo das alfaias agrícolas, pulverizadores, atomizadores e reboques, são acoplados ao trator, por meio da tomada de força (TDF). A TDF é um mecanismo ligado ao veio do motor, localizado na traseira do trator, que permite acoplar (engatar) diversos equipamentos, consoante o tipo de trabalho (transporte, preparação da terra para sementeira, etc.) que se pretenda executar.

Os tratores, para além da atividade agrícola, também podem ser utilizados na movimentação de grandes quantidades de solo (ou terra), como é o caso dos bulldozers, tratores com pás carregadoras e escavadoras de grande porte.

Note-se que as escavadoras são também importantes na atividade agrícola, por permitirem executar cavas a grande profundidade em solos agrícolas.

Constituição generalizada do trator

O trator e os seus componentes

Não é pretensão nem objetivo deste artigo fornecer uma descrição mecânica pormenorizada do trator. Contudo, importa saber que existe um órgão que fornece energia para o seu funcionamento, que é o motor.

O motor é o órgão do trator que transformará a energia contida no combustível em movimento de rotação, movimento esse que será transmitido às rodas, através de um veio de transmissão.

Entre o motor e o veio de transmissão existe a embraiagem. A embraiagem é o mecanismo que permite desligar o motor do resto da máquina, parando o trator sem ser necessário desligar o motor. A embraiagem também possibilita movimentar a caixa de velocidades de forma a fazer a mudança necessária.

A caixa de velocidades é o órgão localizado a seguir à embraiagem e que permite, através de um conjunto de engrenagens, impor a rotação adequada ao veio de transmissão, para que as rodas de tração façam movimentar o trator na velocidade pretendida.

A seguir à caixa de velocidades localiza-se o veio de transmissão, que ligará ao diferencial.

O diferencial é um órgão hermético, constituído por um conjunto de engrenagens que possibilitam a transmissão do movimento rotativo o veio de transmissão às rodas de tração, através de dois semieixos motrizes, um para cada roda). Os semieixos são veios de menor dimensão que o veio de transmissão e que ligam o diferencial do trator às rodas de tração.

Existem tratores com tração apenas a duas rodas, mas, geralmente, são as quatro rodas.

A condução do trator faz-se através do guiador ou volante da direção. Este guiador está ligado a uma engrenagem, através do eixo da direção, que transforma o movimento de rotação do guiador em movimento retilíneo da barra de direção, que se desloca para a direita ou para a esquerda, fazendo as rodas virar para onde se deseja. As rodas diretrizes são as dianteiras.

Nos tratores de rastos existem duas embraiagens nas rodas motrizes, que permitem desligar separadamente uma roda motriz da outra, permitindo assim a viragem.

O trator necessita também de um órgão para o fazer parar ou manter parado – o travão. Geralmente, o travão atua nas rodas traseiras, podendo ser comandado hidráulica ou mecanicamente.

No trator existe ainda o sistema elétrico, que permite o arranque do motor e o fornecimento de energia aos faróis e a todos os instrumentos indicadores (contador de horas, medidor da temperatura do motor, medidor do nível de óleo do motor, etc.), sendo constituído por toda a cablagem elétrica, bateria, motor de arranque e bobine, bem como todos os dispositivos associados a este sistema.

Os diferentes órgãos do trator


Classificação dos tratores quanto ao seu tipo de tração

Tratores de rodas

tratores DICAs 3
tratores DICAs 4
Tratores de rodas

São, sem dúvida, os tratores mais comuns na atividade agrícola. As rodas pneumáticas, acopladas às jantes metálicas, proporcionam apoio e atrito ao trator, para que o mesmo se desloque no terreno.

Existem os tratores de tração simples, isto é, com tração às duas rodas, as traseiras.

Neste tipo de tratores, as rodas de tração são maiores (têm maior diâmetro) que as dianteiras, que rodam no solo livremente, porque:

a) Aumenta a superfície de apoio do trator no solo;

b) Possibilita o trator ter maior altura, permitindo assim uma maior capacidade para evitar obstáculos ao atravessar as plantações (note-se que o eixo dianteiro pode ser elevado facilmente porque não é de tração) e;

c) Aumenta o peso aderente do trator.

Os tratores de tração total ou de às quatro rodas são os mais estáveis e os mais adequados para a atividade agrícola feita em terrenos escorregadios e/ou inclinados, para trabalhos de reboque e transporte com atrelado e para movimentação de terras.

tratores DICAs 5
Trator de rodas

Os tratores de tração às quatro rodas são também os mais versáteis e os que mais facilmente executam qualquer tipo de tarefa. No entanto, no ato da sua compra, são também os mais caros porque, exigem aços mais resistentes e um sistema de transmissão de movimento duplo. Por este motivo, o agricultor, antes da compra, deve saber quais os tipos de tarefas que se perspetivam realizar na sua exploração.

Nestes tratores, a diferença entre os diâmetros das rodas traseiras e dianteiras é menor e as rodas dianteiras são ligeiramente menores do que as traseiras, de modo a facilitar a sua manobrabilidade em solo agrícola. Contudo, existem tratores de tração às quatro rodas cujo diâmetro entre as rodas traseiras e dianteiras é igual.

Tratores de rastos
tratores DICAs 6
Trator de rastos

São os tratores cujos rodados são rastos que proporcionam, por sua vez, aderência ao solo.

Neste tipo de tratores, as rodas não estão apoiadas no solo, mas sim nos rastos e estão especialmente vocacionados para trabalhar em terrenos moles (solos encharcados ou escorregadios) e irregulares com pedras, porque possuem uma grande superfície de aderência ao solo proporcionada pelos rastos. A maior superfície de contacto que têm devido aos rastos faz com que a pressão exercida no solo, por unidade de superfície, seja mais baixa do que nos de rodas, distribuindo o peso do trator numa área de solo maior.

Os rastos possuem um perfil exterior, permitindo o atrito com o solo, o que impede deslizamento do trator.

Os rastos são estruturas constituídas por placas de aço unidas por elos, flexíveis, que permitem ao trator ultrapassar obstáculos no seu trajeto, como, por exemplo, pedras ou desníveis.

Sendo assim, as vantagens principais em utilizar um trator de rastos são:

a) Menor probabilidade de escorregar, quando comparado com um trator de rodas e;

b) Maior tração.

Em relação às desvantagens temos:

a) Maior consumo de combustível, quando comparado com um trator de rodas, porque o esforço de tração é maior e;

b) Menor velocidade de deslocamento (mais lento), o que implica a utilização de um transporte para o trator, quando é necessária a sua deslocação em estrada.

tratores DICAs 7
Trator de rastos
Classificação dos tratores quanto à sua aplicação
Trator normal ou standard
tratores DICAs 8
Trator normal ou standard

É o trator mais versátil, ou seja, é o que mais tarefas pode realizar, quando em funcionamento numa exploração agropecuária, tais como:

a) A execução de vários tipos de lavoura, quando lhe é acoplado, através da TDF, vários tipos de alfaias (charrua de aivecas, de discos, escarificador, fresa, cavadeira, etc.);

b) A execução de tarefas agrícolas, quando lhe é acoplado equipamentos agrícolas, como atomizadores, espalhadores de estrume, pulverizadores, semeadores, etc. e;

c) A execução de trabalhos de transporte, se lhe for acoplada um reboque

Geralmente, estes tratores standard têm as seguintes dimensões:

a) Largura entre rodado (distância entre as linhas médias do rodado das rodas dianteiras)

Trator ligeiro: 1,3 m

Trator médio e pesado: 1,45 m a 1,6 m.

A largura entre rodado é variável para um mesmo trator, porque atualmente a maioria das marcas apresentam modelos onde a posição das jantes dianteiras é ajustável, de acordo com o tipo de tarefa que a máquina irá executar;

b) Altura livre do trator (distância entre a linha de solo e o ponto mais baixo da carroçaria do trator);

Altura livre: de 35 cm a 50 cm;

c) A distância entre eixos para um trator médio standard é de 2,10 m;

d) Quanto ao seu peso:

Ligeiro: entre 1 000 Kg a 2 000 Kg

Médio: entre 2 000 Kg a 3 000 Kg

Pesado: entre 3 000 kg a 4 000 Kg.

Trator fruteiro

tratores DICAs 9
Trator fruteiro

É o trator com características e dimensões que permitem, facilitam e adequam a sua laboração em pomares.

Neste tipo, a largura entre rodados e a distância entre eixos são mais pequenas, quando comparadas com as dimensões do trator normal, tornando-os mais estreitos e compactos.

Por outro lado, a direção é sempre assistida e têm a capacidade de poder bloquear o diferencial, o que torna estes tratores particularmente aptos para espaços de manobra reduzidos e terrenos enlameados, condições estas frequentes em pomares.

Dada a extensão deste artigo, será publicada a segunda e última parte brevemente.

Autoria: António Henrique Fernandes Ferreira
Direção Regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural

Subscreva a nossa revista e adquira mensalmente outros artigos: